Meninos Eu Vi

Eram tantos santos: o nosso era Djalma Santos

Por Jota Christianini Tudo se escreveu sobre Djalma Santos, aliás Dejalma dos Santos, seu nome oficial. Que foi bi campeão mundial de seleções, tri campeão brasileiro pelo Palmeiras, e tetra campeão brasileiro de seleções estaduais com a equipe paulista. Além de dezenas de outros títulos. Mas vamos abordar aqui outros

Causos do Jota: Zé Gaiola era um homem justo

Por Jota Christianini Voltam os causos. Aprendi ler e fazer contas nas páginas de A Gazeta Esportiva. As manchetes ensinaram-me a ordenar aquele monte de letrinhas e aprendi somar com os números das camisas dos jogadores. Foi na edição quinzenal da revista Ilustrada da Gazeta que li o primeiro causo.

Ermelino, o palmeirense Matarazzo

POR JOTA CHRISTIANINI

Faz muito tempo, tempo demais, infelizmente! Afinal eu tinha só 12 anos.

Meu pai levou-me a uma festa no Palestra.

Dia 1º de maio e 7 de Setembro o Palmeiras abria suas portas. Era a chance dos italianinhos da Lapa  frequentar o clube.

Chico, o Palestrino Anysio

POR JOTA CHRISTIANINI Chico Anysio está no hospital. Submeteu-se a uma cirurgia e  quando se pensava que teria alta, tem mais problemas. Todos torcemos pela recuperação e volta ao cenário artístico. Chico já foi personagem de nossos causos, mas pelo inegável talento – dos humoristas brasileiros, o melhor disparado –

Palmeirazzo

POR JOTA CHRISTIANINI Virou lenda, é história, é mais do que tudo recorrente. Bastou falar em Copa do Mundo no Brasil  e temos dois assuntos: possibilidade de uso indevido do dinheiro público e a lembrança da única vez que a copa foi aqui. Do primeiro assunto deixamos para outra ocasião embora inadmissível

Agora eu quebro aquele magrela

POR JOTA CHRISTIANINI O Esporte Espetacular da Globo mostrou a matéria em que seleção argentina, em peso, vestiu a camisa do Palmeiras para enfrentar a seleção paulista. Na matéria vê-se o depoimento – infelizmente não identificado na tela – do Turcão, famoso zagueiro palmeirense  dos anos 40; jogou ate a

Topo o Mendonça

POR JOTA CHRISTIANINI Vendo essa interminável discussão sobre as sedes para a Copa percebo a falta do grande interlocutor, alguém que defina as coisas e que por natureza responda, sem tergiversar e de forma definitiva, qualquer pergunta. Lembro de um cartola assim. João Mendonça Falcão; era o inexpressivo que eternizou-se no

Até breve Palestra, sonhos e sonhos

POR JOTA CHRISTIANINI Eu tinha um sonho e o Marcos Kleine, músico, tinha outro, ambos tudo a ver com o Palmeiras. Deixei de ser jornalista full time em 1974, e desde então queria comentar um jogo em Palestra Italia. O Kleine, há bem menos tempo, queria apresentar-se no mesmo estádio.

Parece que foi ontem

Um presidente do alvi-verde enfrentava dificuldades para conseguir adesão de todos para que o estádio do clube tivesse a grandeza  e a modernidade que as tradições e glórias do time de futebol exigiam. Decidiu, em vibrante discurso, mostrar com clareza o que esperava dos verdadeiros palestrinos.   “O Palestra não pode estar a

Alem da goleada nosso ataque nada fez

POR JOTA CHRISTIANINI Para quem espantou-se com a parcialidade da imprensa e a perseguição sofrida pelo PALESTRA nos primórdios, segue aqui mais um exemplo.  No primeiro jogo do campeonato paulista de 33 – contava pontos concomitante para  o Rio-SP – realizou-se o derby. Jogo na Fazendinha, portanto mando do leal adversário. Vejam,

Infelicidade de fazer um gol, e sem querer

POR JOTA CHRISTIANINI Atualmente a torcida do PALMEIRAS reclama, com razão, do tratamento que a imprensa dá ao clube, muito diferente do tratamento que é concedido aos outros times. Isso vem de longe; apenas aprimora-se. Recentemente um jornalista do Estadão requintou de tal forma a preferência de tratamento que teve

Tentaram mudar nosso estádio; só tentaram

POR JOTA CHRISTIANINI Algum dia na vida houve quem quisesse trocar o estádio Palestra Italia pelo Pacaembu, ou por outro terreno. Meia verdade e como tal meia mentira. Aos fatos. Em 1927, a compra do Parque Antárctica, feita pelo Palestra sete anos antes, ainda despertava cobiça. O Parque ocupava um lugar central, bucólico

Jorginho entre Palmeiras e Corinthians

POR JOTA CHRISTIANINI Jorginho Putinatti não queria sair do Palmeiras e principalmente não desejava ir para o Corinthians. Os torcedores palestrinos tentando impedir a saída do jogador; confusão nas alamedas! Até queriam depor o presidente pelo que diziam ser crime de lesa Verdão. E do outro lado, como reagiam os

Lula confiou nas palavras do Turcão

POR JOTA CHRISTIANINI Lula era um ponteiro diferente, embora carioca era do tipo matuto, acreditava em muita coisa que lhe contavam, embora desconfiasse de tudo. Chegou na metade de 1946 e foi entrando aos poucos no time. Marcou gols – fez 49 nas 123 partidas que jogou – mas não

Elementar meu caro Calango

Encontro o Leivinha recém saído de cirurgia para acertar de uma vez o jeito de caminhar. Falamos de Lins, começo da carreira daquele que foi um dos maiores cabeceadores que o Palmeiras e o futebol brasileiro já teve, alem de colecionador de taças e títulos, inventor do  drible do elástico