Análise da Arbitragem – Rodada 38: estamos nos resignando?

dezembro 10, 2008 0 Jogos

Por Danilo Cersosimo

A idéia do artigo de hoje era
fazer uma análise da arbitragem como um todo, com todos os números da
arbitragem ao longo do campeonato; isso já estava combinado com o Vicente deste
a R36, mas os acontecimentos que antecederam a rodada final me obrigam a fazer
um post quase de desabafo…

***

A R38 teve seus lances
duvidosos e polêmicos como em todas as rodadas do campeonato, mas o que vimos
antes e especialmente depois do caso “Ingresso da Madonna” é de preocupar não
somente pelo que está acontecendo com o futebol, mas faz questionar: será que estamos nos resignando?

 

Não quero aqui elucubrar
teorias conspiratórias, tentando imaginar que no suposto envelope da Madonna
pudesse haver mais do que ingressos. Pelo histórico de erros de arbitragem ao
seu favor podemos até suspeitar do referido clube, mas se de fato a secretária do presidente do SPFC ligou para
alguém na FPF para oferecer ingressos ao árbitro do jogo algumas perguntas
devem ser feitas:
 

É correto um clube endereçar
agrados a árbitros, presidentes de federações, comissões e similares?

Que outros agrados os clubes de
futebol – e no caso o SPFC – teriam feito ao longo do campeonato?

Por que os arautos da
moralidade da imprensa esportiva não questionaram veementemente esse conflito
de interesses – eles que gostam tanto de falar de conflitos de interesse quando
é o Palmeiras quem está na mira?

Por que durante todo o sábado
parte da imprensa passou o dia minimizando o fato e reduzindo-o a uma simples
confusão de duas secretárias e um simplório envelope com ingressos para o show
da Madonna?
 

Por que tanta certeza de que era apenas uma confusão sobre um par de ingressos para ver a cantora?

Penso que acusar irresponsalvemente é algo sério, mas questionar o que parece errado ou suspeito não deveria ser uma de nossas premissas para uma sociedade melhor e mais justa?

***

Enquanto Del Nero e a CBF permaneciam em silêncio a turma do SPFC se destemperava – dispararam comunicados, entrevistas e declarações furiosas, romperam com a FPF e todos se mostravam muito tensos – será que estavam com receio de algo? Afinal de contas, no país dos grampos…

A cereja no bolo foi posta pelo
até então desconhecido dirigente sãopaulino representante do clube na FPF que
se desligou da entidade em rede nacional um pouco antes do jogo. Segundo ele
havia um culpado para tudo aquilo. Sim, o PALMEIRAS. Eis a obra-prima do cinismo:

“Eu só posso entender isso como uma maneira
de desestabilizar o São Paulo, porque em alguns fatos e clube não concordava.
Começa com o caso do gás, que foi mal resolvido”.

“E mais importante de tudo: embora eu seja muito amigo do Cipullo, o São
Paulo ganhando esse título desestabiliza o modelo da Traffic. Além disso, o
Marco Polo Del Nero é muito ligado ao Palmeiras. Ele estragou a festa da última
partida fazendo isso. O São Paulo está totalmente contra a FPF e estamos
rompendo com eles”

A diretoria do Palmeiras vai
deixar passar batido?

***

Nesta terça-feira o STJD por
meio de seu presidente convocou 6 envolvidos no caso para deporem sobre o
imbróglio.

Em tempo: Rubens Aprobatto
Machado, o mesmo dirigente do Corinthians que julgou as suspeitas de compra de
árbitros no BR-2005 a partir de declarações pegas em grampo telefônico vindas do
próprio Dualib. Olha mais conflito de interesse aí gente!

Duvido que algo acontecerá. E
duvido que a imprensa ficará em cima, cobrará respostas e esclarecimentos – com
exceção de poucos heróis que ainda ousam questionar.

***

E depois de todo o circo armado
eis que temos um árbitro inexpressivo apitando a final na aberração do Bezerrão
– gastar 50 milhões num estádio numa cidade que carece de infra-estrutura e
serviços sociais é um tapa na cara do contribuinte brasileiro.

O gol do título convertido com
1,31m de impedimento sequer me causou irritação. Foi o 14º erro pró-SPFC neste
BR-2008.

O campeonato teve o fim
melancólico que mereceu.

***

Pra finalizar não posso deixar
de criticar a maior parte de imprensa, que tratou o erro do árbitro Jailson
Freitas e seu bandeira como algo corriqueiro. Quando o Flamengo foi
supostamente prejudicado pelo Cruzeiro o barulho foi muito maior… até ali
errar não parecia humano…

O jornalista Mauricio Noriega,
a quem respeito muito, por sua seriedade, e também por ser palmeirense e de
Bariri, saiu-se com essa: “se o bandeira
invalidasse o gol do Borges ainda assim o resultado seria 0x0 e o SPFC seria o
campeão
”.

Oras, meu caro Noriega, se podemos nos utilizar de raciocínio
simplista então me permito dizer que se o árbitro valida aquele gol
escandalosamente legal do Botafogo o SPFC não teria vencido aquele jogo, só
empatado… ou se o árbitro desse o pênalti para o Flu na penúltima rodada, o
SPFC teria perdido…

Pior é ouvir “que erros
acontecem para todos os times”… E aí é que retomo minhas preocupações do
início deste post: será que estamos nos resignando com o fato de que no futebol
alguns são mais iguais que outros?

18550cookie-checkAnálise da Arbitragem – Rodada 38: estamos nos resignando?

0 comentários em “Análise da Arbitragem – Rodada 38: estamos nos resignando?

  • Rodolfo Timoteo da Silva
    dezembro 10, 2008
    Responder
  • Rinaldo Russo Milito
    dezembro 10, 2008
    Responder
  • Rinaldo Russo Milito
    dezembro 10, 2008
    Responder
  • Erick de Azevedo Meirelles
    dezembro 10, 2008
    Responder
  • Daniel Seleguim Santos Moraes
    dezembro 10, 2008
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    dezembro 10, 2008
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *