Desvendando o Barcelona – 2

Desvendando o Barcelona – 2

janeiro 30, 2009 8 Futebol com Números
Por Luís Fernando Tredinnick
Divulgação autorizada mediante explícita citação do autor e do blog Terceira Via Verdão

Ainda comemorando a vitória de todos os Palmeirenses com a eleição do Belluzzo, está na hora de falarmos sobre as receitas de marketing. Lembro a todos vocês que um dos pontos abordado na campanha pelo novo Presidente foi justamente o do foco em se aumentar as receitas!

Para lembrarmos do tamanho das receitas de marketing para o Barça, observem o gráfico abaixo:

O PROGRAMA DE PATROCÍNIO

O Barça, dentre os grandes clubes do mundo, é o único que não possui um patrocinador da camisa do clube. A Unicef recebe uma porcentagem das receitas do clube!

Mas, mesmo sem um patrocinador na camisa, o Barça tem 10 patrocinadores oficiais! Observem na tabela abaixo a diversidade desses patrocinadores!

Nada mal possuir dois tipos de patrocinadores de bebidas, não? Seria algo parecido termos para o Palmeiras o patrocínio da Bhrama e do Champanhe Chandon! Agora, devemos admitir que ter uma marca de queijo como patrocinador oficial é, no mínimo, estranho. Mas, eles conseguiram encontrar um jeito de fazer isso funcionar…

Cada um dos patrocinadores conta com programas específicos e com ações de marketing diferenciadas, por exemplo:
 – Existem promoções para os sócios, seja por celular, ou mesmo com a cobrança de pênaltis antes das partidas valendo uma viagem para qualquer lugar da Europa!
 – A Nike tem uma parte do estádio com o seu nome, o primeiro caso de naming rights do clube, e olha que é só uma parte do estádio! Além de patrocinar o uniforme do time e as roupas esportivas.

As empresas patrocinadoras contam com “programas de hospitalidade” no clube, ou seja, com uma área VIP no estádio para receberem seus convidados. Ou seja, fazem da ida ao jogo um espetáculo e não apenas um jogo. Devemos lembrar que o futebol deve ser encarado como “entretenimento” e não apenas com um esporte!

O Barça também possuí patrocinadores específicos para o Basquete (seguradora) e Hóquei sobre patins (outra seguradora).

O clube também desenvolveu uma publicação trimestral chamada FCBusines que apresenta informações relevantes para os seus patrocinadores: estudos de mercado, entrevistas, artigos, exemplos de oportunidades de atividades realizadas pelos patrocinadores, oportunidades de patrocínio em novos ativos, concursos, etc. Ou seja, eles querem fidelizar os patrocinadores, aumentar o envolvimento deles e também conseguir novas formas de se obter dinheiro! Simplesmente perfeito!

OS DIREITOS DE IMAGEM E LICENCIAMENTO

Na parte de publicidade o clube gerencia e vende os direitos de imagem individuais dos jogadores para campanhas de publicidade.

Eles não apresentam valores individuais, mas imagino que seja uma opção barata para o anunciante associar sua marca à do clube, uma vez que entre as companhias que fizeram uso estão a Telepizza (!), além de Apple, Aeromexico, Gillette México e a Aspire, uma rede de academia de esportes no Catar (nada como o mundo globalizado).

Alguém aqui imagina o Euller, nos bons tempos, fazendo propaganda de entrega de Telepizza, garantindo a rapidez na entrega?

Adicionalmente eles possuem 148 licenças da marca Barça para diferentes produtos, incluindo MP3 players, câmeras filmadoras e um acordo com a Warner Bros. Dá para imaginar alguém comprando uma filmadora do Barça? Isso sim que é fanatismo.

AS LOJAS PRÓPRIAS

Para minha surpresa, o Barça conta apenas com 10 lojas próprias em todo o país. Parece pouco para um clube tão poderoso em um país onde existem basicamente dois grandes clubes.

A administração das lojas havia sido terceirizada para a Nike, porém o acordo expirou em meados de 2008 e as lojas voltaram a ser administradas pelo Barça. As lojas, apesar de serem predominantemente de artigos voltados ao futebol, possuem uma área específica para o basquete, o segundo esporte mais importante para o clube.

ENQUANTO ISSO, NO BRASIL…

Patrocinadores – quando se imagina que no Brasil existem, em geral, apenas três patrocinadores dos clubes (peito, manga e material esportivo), percebe-se como estamos longe de conseguir dialogar corretamente com as empresas.

Nada impede os grandes clubes de conseguir vários patrocinadores de diversos segmentos e estabelecer programas diferenciados para cada um deles. O que impede um sorteio para os espectadores de estadias grátis em alguma cadeia de hotel? Ou fornecer descontos para os associados? Ou existir algum tipo de experimentação de produtos no estádio? Temos que desenvolver esse tipo de inteligência!

Direitos de imagem – seria cômico se não fosse trágico: os clubes JÁ pagam direito de imagem aos jogadores e NÃO utilizam!

Existem muitos projetos a serem realizados nesse sentido, como as camisetas do Marcos e do Evair que eu apresentei há duas semanas! Mais do que isso, por que não associar os jogadores à diferentes marcas e produtos?

Lojas próprias – novamente o pessoal do Sul do país leva vantagem! Eles já desenvolveram uma cadeia de lojas. O Internacional tem a InterSport, com mais de 25 lojas! O Grêmio tem a rede Grêmio Mania, com 11 lojas apenas em Porto Alegre!

Mesmo o “leal adversário” que anunciou com toda a pompa e circunstância o lançamento da franquia de lojas, até o momento só tem duas lojas.
Enquanto isso nós temos aquela lojinha na Turiassú… e olha que ela recentemente foi ampliada!

Cabe a pergunta: será que é tão difícil montar lojas próprias ou mesmo um sistema de franquias?

Como podemos ver, não existe absolutamente nenhuma razão para não trabalharmos essas alternativas de receitas! O mais grave é que parece ser algo fácil de se fazer e que não necessita de altos investimentos.

Será que essa situação se altera rapidamente com o Belluzzo? Vamos esperar que sim!

Saudações AlviVerdes

*Luís Fernando Tredinnick escreve todas as sextas-feiras no 3VV, explicando a quem conhece e também a quem não conhece os números no futebol
.

21580cookie-checkDesvendando o Barcelona – 2

8 comentários em “Desvendando o Barcelona – 2

  • Marco Aurélio Bianchini
    janeiro 31, 2009
    Responder
  • Administrator
    janeiro 30, 2009
    Responder
  • Marco
    janeiro 30, 2009
    Responder
  • Marco
    janeiro 30, 2009
    Responder
  • Eduardo Forastiero
    janeiro 30, 2009
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    janeiro 30, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Bianchini
    janeiro 30, 2009
    Responder
  • Marcus Santos
    janeiro 30, 2009
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *