Corneta do Cunio: A primeira fatia do bolo

Corneta do Cunio: A primeira fatia do bolo

março 13, 2009 11 Corneta do Cunio


Por Alberto Cunio*

Mundo alviverde, nada mais propício que uma sexta-feira 13 para publicar esta coluna. Passada quase uma semana após o Domingão do Gordão, estou com aquela sensação de ter ido comer churrasco queimado na casa do cunhado.

Uma vez disse a uns amigos que o Palmeiras era o time do “inimaginável”, talvez pelo fato de ter visto coisas acontecerem com nosso time que são simplesmente impensáveis (aí vai uma série delas, desde perder os títulos de 78 e 86 para times do interior pela primeira vez, até perder final de 3×4 ganhando de 3×0 até os 11 minutos do segundo tempo e com um jogador a mais). Poderia fazer uma lista aqui, mas vou deixar a história do Palestra para nosso amigo Jota. Agora, tomar aquele gol domingo era a ÚNICA coisa que não poderia acontecer!

Mas, voltando à “vaca fria”, parece que o nosso grande comandante e PROFEXÔ deixou a maionese desandar. Afinal, se o time estava “voando” no começo da temporada, parece que agora pousou o avião e acabou o querosene. E com esse papo de poupar um aqui e outro acolá, entramos com reservas quarta-feira e quase perdemos o jogo para Alex Afonso e sua turma.

Não vou poupar ninguém aqui, começando por quem mais deveria mostrar serviço. K9 já está falando demais: Barcelona, Seleção Brasileira, Ronalducho é meu ídolo… CX-10 parece que voltou a jogar no Figueirense. Nossa defesa… Bom, essa eu poderia dispensar os comentários, mas pô Maurício! 47 do segundo é bola para a arquibancada, não na fogueira no meio da área ! Bruno, bola alçada na pequena área é sua ! Não é um OVNI passando e você olhando! Marcão, o Gordo se marca de frente, olhando nos olhos! Não é para dar as costas, ainda mais com ele que o perigo é dobrado!

Pois é, amigos. Depois da ressaca do porre de vinho chileno de segunda linha que tomamos na terça retrasada, preparamos uma festa para recepcionar nosso maior freguês e… Demos a primeira fatia do bolo para o Gordo. Resta-nos apenas torcer para os titulares jogarem amanhã contra o perigoso time do Jardim Belval (opa, inventei uma!) e simplesmente GANHAR. Qualquer outra coisa a maionese que já desandou, azeda.

E hoje eu me recuso a destinar a cornetada para alguém em especial,
pois eu deveria ir na 25 de março e comprar um saco de cornetas em
alguma lojinha de “dois reais” e distribuir para o elenco.

Alberto Cunio

Alberto escreve todas as sextas-feiras no 3VV,
fazendo aquilo que a maioria do torcedor palmeirense
mais gosta: dando uma cornetada na orelha de quem
merece.

25310cookie-checkCorneta do Cunio: A primeira fatia do bolo

11 comentários em “Corneta do Cunio: A primeira fatia do bolo

  • Watson Ciriaco
    março 14, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    março 14, 2009
    Responder
  • marco antonio nishimura
    março 14, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    março 13, 2009
    Responder
  • Luiz Rogerio Napoleão
    março 13, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    março 13, 2009
    Responder
  • Luiz Rogerio Napoleão
    março 13, 2009
    Responder
  • Emerson Prebianchi
    março 13, 2009
    Responder
  • Franco Domenico Ceravolo
    março 13, 2009
    Responder
  • Valdir Castaldelli Jr
    março 13, 2009
    Responder
  • Daniel Seleguim Santos Moraes
    março 13, 2009
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *