A Corneta do Cunio – Se for alpinismo, me chama que eu vou!

maio 15, 2009 31 Corneta do Cunio

Por Alberto Cunio  

Cardiopatas alviverdes, espero que nenhum
de vocês estejam lendo esta coluna na UTI do Incor ou coisa que o valha. Mas
que muitos devem ter “fibrilado” na terça-feira, isso eu tenho certeza. Agora
eu lhes pergunto: para que esse sofrimento todo?

Já disse em outra oportunidade que jogar a
primeira partida em casa dá uma vantagem estratégica importante, que é a de
pegar o oponente “à meia força”, pensando no jogo da volta e não se expondo
demais. Isso nos dá garantia (quase) certa de não tomar gol em casa e poder ter
um trunfo nas mãos para o jogo nos domínios adversários. Tudo bem, conseguimos
fazer a primeira parte da tarefa, no sufoco, mas fizemos. Não tomamos gols em
casa, deixamos o pepino nas mãos de Nelsinho Batista e seu Barueri genérico. 

Chega dia 12/05, o 3VV bombando de
comentários, gente nervosa, sem dormir, se alcoolizando desde as 7h da manhã,
ouvi e vi de tudo. E passamos 90 minutos + descontos + pênaltis entre cair no
caldeirão do diabo e correr para o abraço. Graças aos céus, estamos nos
abraçando até agora. Mas poderíamos estar fervendo no enxofre. 

A única coisa que precisávamos era de 1
(UM) só golzinho naquele campo de várzea, para podermos apenas bater bola e
deixar o tempo passar. Para deixar a torcida tomar cerveja em paz. Para não
atacar a gastrite de ninguém. Para não deixar ninguém viajar de ambulância. O
genérico do Jardim Belval JAMAIS faria 3 gols na gente. Mas não… SEMPRE
resolvemos optar pelo caminho mais tortuoso. Bem que eu coloquei num dos posts
da semana… “Por acaso treinamos pênaltis? Quem seriam os batedores?”. Que
sexto sentido…

Na fase de grupos, fizemos DOIS gols lá,
fora as oportunidades perdidas. O que aconteceu, então? Que raios de tática foi
adotada, que fez o Palmeiras jogar numa retranca que não me lembro de ter visto
igual? Sinceramente, não entendi nada. Ficamos abandonados à própria sorte, que
desta vez não nos largou e colocou nas mãos do Marcos todo nosso destino. A
equipe? Jogou muito bem. Parabéns a todos. Ninguém tremeu. Goleiro, dispensa
comentários. Zaga firme, meio-de-campo pegador, ataque discreto (até demais),
mas lutador. Corajosos, mesmo na hora dos pênaltis. Mesmo o Mozart que foi
muito criticado porque perdeu. Sempre achei o fim da picada perder pênalti. Mas
vocês imaginam a BUCHA que o cara assumiu? Tomamos o gol porque não se segura
90 minutos na retranca sem ônus. Quem tomou esta decisão tática absurda então?
O dirigente falastrão do Barueri-NE que não foi.

Pois bem, escalamos na Ilha dos Gatinhos de
Pelúcia um murinho, bem baixinho, mas que o Marcos teve que fazer “escadinha”
com suas mãos salvadoras para a gente não cair de boca no chão. O próximo passo
já é um morro íngreme e pedregoso. Se passarmos, vem um Aconcágua. Que obviamente
escolheremos subir pela face sul, mais perigosa, porém de vista mais linda. Aí
chega o Everest… Será que vamos ter gás até lá?

Recebi uma sugestão familiar de deixar
nosso VL de fora das corneteadas. Ele já está virando “hors concours”. Mas
parece que o PROFEXÔ se supera a cada dia… Tudo bem, vamos acatar a sugestão
e tirá-lo da lista… MAS NÃO DESTA SEMANA, OUVIU PROFEXÔ? MAIS UMA DESSAS E
VOCÊ COME A CORNETA COM PIMENTA! E VAMOS REZAR PARA O ODORICO PARAGUAÇU DO
IXPORT SER SEU CHEFE!


30460cookie-checkA Corneta do Cunio – Se for alpinismo, me chama que eu vou!

31 comentários em “A Corneta do Cunio – Se for alpinismo, me chama que eu vou!

  • Kaleb Forte Rodrigues
    maio 20, 2009
    Responder
  • Paulo de Moraes Manolio
    maio 17, 2009
    Responder
  • Marcio Zambon
    maio 16, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    maio 16, 2009
    Responder
  • Marcelo Breda Stocco
    maio 16, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 15, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    maio 15, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 15, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 15, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 15, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 15, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 15, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Novelini
    maio 15, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 15, 2009
    Responder
  • Bruno Teixeira Lomba
    maio 15, 2009
    Responder
  • THOBIAS BRUNO GURGEL TAVARES
    maio 15, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 15, 2009
    Responder
  • Heitor De Mare
    maio 15, 2009
    Responder
  • Daniel Seleguim Santos Moraes
    maio 15, 2009
    Responder
  • Heitor De Mare
    maio 15, 2009
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    maio 15, 2009
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    maio 15, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 15, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    maio 15, 2009
    Responder
  • Álvaro Teodoro Gerlach e Silva
    maio 15, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    maio 15, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 15, 2009
    Responder
  • Pedro Ivo Christofaro Martins
    maio 15, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    maio 15, 2009
    Responder
  • Enio Kawahara
    maio 15, 2009
    Responder
  • JOSELITO LUIZ GONÇALVES
    maio 15, 2009
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *