A Corneta do Cunio – Dando corda para o inimigo se enforcar

maio 29, 2009 75 Corneta do Cunio

Por Alberto Cunio 

Esperançosos alviverdes, colocar as idéias no lugar após uma noite tensa
como a passada, é difícil para qualquer um. Mas às vezes é melhor ainda estar
com parte da emoção à flor da pele para sermos mais verdadeiros nos
comentários, mesmo que não sejam necessariamente ordenados.

Desde domingo, tivemos uma semana agitada, vivendo ansiedades com o jogo
de ontem à noite e surpresa com a chegada meteórica do Obina. Tudo quase ao
mesmo tempo. Como ainda estamos com o foco na Libertadores, mais uma vez me
abstenho de comentar a rodada do final de semana contra nossos vizinhos de
muro, pois já discutimos bastante ao longo da semana aquela partida e não
adianta mais lamentarmos o pênalti que o juiz não deu.

Vamos ao que interessa e volta a ser nossa angústia: ainda dá para nos
classificarmos na Libertadores? Lógico que dá.

Sinceramente não entendi a reação de parte de nossa torcida que ao final
do jogo estava revoltada e chamando nosso treinador de “burro”. Acho que nem os
que gritavam sabiam o porquê de gritar isso. Convenhamos, a frustração por tomarmos
um gol bobo, num dos raros ataques do adversário, causou um gosto amargo na
boca, que destilado sobrou para o “profexô”. Ainda fiquei sentado nas arquibancadas,
ouvindo as pessoas se lamentando, e a única coisa que parecia justificar as
ofensas foi ele ter tirado o K-9 (mais uma vez apagado e apenas fazendo o pivô
para o gol de DS-7) e colocado nosso Beckenbauer de plantão, o glorioso Jumar.
Abro aqui os comentários para que, livremente, alguém me dê uma justificativa
plausível de que esta alteração nos fez perder dois pontos. Quem me convencer
ganha um tubo de balas de goma.

Palmeirenses, vamos colocar os pingos nos “is”: 1- Nosso elenco tem
limitações; 2- Nossa preparação para a competição foi à jato, já que montamos
praticamente um time novo; 3- Nosso melhor atacante atravessa uma má fase que
está mais com cara de problemas pessoais do que profissionais; 4- Estamos longe
de apresentar um futebol brilhante.

Agora me digam: vocês acham que estar nas quartas-de-final da
Libertadores, com chances ainda enormes de ir para as semis, é uma situação
ruim? Naturalmente, dentro das circunstâncias apresentadas acima, estamos mais
que no lucro. O Nacional tem uma equipe que toca bem a bola. Ponto. Mas também
é limitada, pensa que joga  muito mais do
que realmente joga e podem acabar morrendo nas praias de Punta del Este,
batendo a cabeça ao cair do salto. Lembrem-se o que já dissemos aqui: Palmeiras
é time de jogar na adversidade. Com vantagem nas mãos, sempre fazemos caca.
Parece loucura, mas nossa postura será bem melhor indo com 1×1 do que com 1×0.

Faço aqui algumas observações para encerrar nosso papo semanal: parabéns
ao Palmeiras por ousar trazer o Obina. Parabéns ao Obina, pela dedicação
apresentada, após mal ter treinado com o grupo. Parabéns à torcida que o
apoiou, não vaiou e entendeu que em campo são 11 camisas do Palmeiras, não
importando quem as use. Temos que apoiar, SEMPRE.

E minha CORNETEADA vai na orelha de cada um que vaiou e chamou de
“burro” o VL após o jogo, bem como àqueles que se revoltaram com a contratação
do Eto’o da Boa Terra. Vamos parar com a síndrome de vira-lata e achar que tudo
o que é nosso não presta.

Semana que vem, a coluna passa para as terças-feiras, quando ainda o
final de semana estiver quente. Até lá!

31920cookie-checkA Corneta do Cunio – Dando corda para o inimigo se enforcar

75 comentários em “A Corneta do Cunio – Dando corda para o inimigo se enforcar

  • Alberto Cunio
    maio 30, 2009
    Responder
  • Eduardo Carraro Milagre
    maio 30, 2009
    Responder
  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    maio 30, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 29, 2009
    Responder
  • Emerson Prebianchi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Kaleb Forte Rodrigues
    maio 29, 2009
    Responder
  • Kaleb Forte Rodrigues
    maio 29, 2009
    Responder
  • Kaleb Forte Rodrigues
    maio 29, 2009
    Responder
  • Caio Augusto Subtil D'Aprile
    maio 29, 2009
    Responder
  • Julio Coelho
    maio 29, 2009
    Responder
  • Julio Coelho
    maio 29, 2009
    Responder
  • Julio Coelho
    maio 29, 2009
    Responder
  • V Criscio
    maio 29, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Marcio Zambon
    maio 29, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 29, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    maio 29, 2009
    Responder
  • Daniel Seleguim Santos Moraes
    maio 29, 2009
    Responder
  • Luiz Rogerio Napoleão
    maio 29, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Dalla Valle
    maio 29, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Edvaldo Neves
    maio 29, 2009
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    maio 29, 2009
    Responder
  • Arthur Azevedo Ribeiro
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rodrigo
    maio 29, 2009
    Responder
  • Arthur Azevedo Ribeiro
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 29, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Novelini
    maio 29, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 29, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 29, 2009
    Responder
  • Dalla Valle
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 29, 2009
    Responder
  • André Tisi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Edson do Carmo
    maio 29, 2009
    Responder
  • Arthur Azevedo Ribeiro
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 29, 2009
    Responder
  • Mayara Cardoso
    maio 29, 2009
    Responder
  • THOBIAS BRUNO GURGEL TAVARES
    maio 29, 2009
    Responder
  • THOBIAS BRUNO GURGEL TAVARES
    maio 29, 2009
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    maio 29, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 29, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    maio 29, 2009
    Responder
  • Vinicius Zucca
    maio 29, 2009
    Responder
  • Mayara Cardoso
    maio 29, 2009
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    maio 29, 2009
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    maio 29, 2009
    Responder
  • Mayara Cardoso
    maio 29, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 29, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 29, 2009
    Responder
  • Mayara Cardoso
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 29, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 29, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Luciano Stinchi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Luciano Stinchi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Luciano Stinchi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    maio 29, 2009
    Responder
  • André Fix Dias de Toledo
    maio 29, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    maio 29, 2009
    Responder
  • Franco Domenico Ceravolo
    maio 29, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    maio 29, 2009
    Responder
  • Franco Domenico Ceravolo
    maio 29, 2009
    Responder
  • Valdir Castaldelli Jr
    maio 29, 2009
    Responder
  • Marcio Zambon
    maio 29, 2009
    Responder
  • Valdir Castaldelli Jr
    maio 29, 2009
    Responder
  • Daniel Seleguim Santos Moraes
    maio 29, 2009
    Responder
  • Luciano Stinchi
    maio 29, 2009
    Responder
  • Mayara Cardoso
    maio 29, 2009
    Responder
  • Daniel Seleguim Santos Moraes
    maio 29, 2009
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *