A corneta do Cunio – Queimando etapas

junho 19, 2009 44 Corneta do Cunio

POR ALBERTO CUNIO

Palmeirenses do mundo, hoje não vou utilizar nenhum adjetivo pois nada
caberia semanticamente para nos qualificar, que não um conjunto infindável de
expressões, termos e afins. Faço apenas uma pergunta: qual é a prioridade
agora? (Ôpa, desculpem o deslize, essa pergunta é para nossos vizinhos do outro
lado do muro…).

Falando do que interessa agora, que é o nosso amado Palmeiras, chamar de
“ressaca” pode parecer exagerado, mas a inflamabilidade que tomou conta de nossa
torcida após o jogo de quarta-feira me deixou até um pouco assustado. Afinal, a
impressão de que estávamos criando uma expectativa acima do “aceitável”, se
concretizou. 

Não vou ficar aqui repetindo o comentário que fiz nesta mesma coluna na
primeira fase da Libertadores, quando disse que seria melhor sair logo, antes
de ser certamente eliminado por algum dos brasileiros ou pelo Boca. Falar isso
agora seria jogar ao lado dos chacais e isso não é de meu feitio. Vou
lembrá-los que o nosso comandante VL já se prontificou antes de começar o ano
dizendo que este “novo time” (que ele mesmo desmanchou e montou nem sei quantas
vezes) estava em preparação para o Brasileirão. Para bom entendedor, a
Libertadores seria na base do “O QUE VIER É LUCRO”. Não deu outra, chegamos nas
quartas e paramos por lá mesmo.

Vou falar agora como palmeirense de nascença, já com alguns cabelos
brancos e como amigo de todos os que aqui comentam, lêem e participam do site
3VV: vamos encarar a realidade. Sei que é dura, mas não podemos fugir dela.

Esta semana li aqui no 3VV inúmeros comentários sobre o Palmeiras (antes
e depois da fatídica eliminação) que têm conteúdos preciosíssimos. Mas um grupo
deles me chamou muita atenção ontem, quando fizeram uma constatação cristalina,
que está na nossa cara e não paramos para analisar friamente: ganhamos neste
século apenas a Série B e um Estadual. E o que significa isso para um clube com
a grandeza, história, tradição e renome como o Palmeiras? Apenas uma coisa: uma
vergonha.

Entramos o ano de 2009 “abonados” por uma vaga na Libertadores, que por
influência de vocês sabem muito bem que clube, se tornou uma “obsessão” (como
diz a musiquinha da organizada), passando qualquer outra coisa para o segundo
plano. E este ano estamos parecendo aquele “encarregado” de 25 anos de
experiência na carteira de trabalho e que chega no emprego novo dizendo que no
ano seguinte quer ser presidente.

Pessoal, quem em sã consciência acha que um título se compra no
supermercado? Bom, então compramos uma comissão técnica milionária aqui, um
parceiro cheio das boas intenções ali, as melhores revelações de 2008 acolá,
recheamos com alguns refugos e… Ganhamos tudo o que quisermos. Galera, isso
não é Cartola F.C.! Não estamos nem queimando as etapas, estamos ignorando a existência
delas! Uma equipe vencedora de uma Copa Libertadores e de um Mundial
Interclubes não é “Miojo Lamen”, que em 3 minutos está pronto! Vou mais uma vez
mencionar o Internacional, que escapou em 2003 da série B na última rodada,
montou o time em 2004, foi assaltado no Brasileirão de 2005 e foi campeão da
Libertadores e Mundial em 2006!

Foram 3 anos de preparação e foi MUITO rápido. Nós passamos os últimos
10 a ver navios e só porque ganhamos o Paulista de 2008 achamos que poderíamos
ser donos do mundo. Grandes conquistas se fazem com grandes planejamentos,
estrutura, investimento, MUITO TRABALHO, MUITA PACIÊNCIA E SEM QUEIMAR ETAPAS.
Estamos atravessando a cronologia dos fatos e querendo comer comida crua.

Em virtude da semana polêmica e para evitar maiores confusões, deixo
aqui minha CORNETAÇA NA ORELHAÇA do Sr. Tite, que não viu a cor da bola no
Pacaembu e nós que temos que dormir com esse barulho. Inferno.

Bom final de semana a todos, juízo e cabeça fria.
Vamos ao Brasileirão 2009.

34300cookie-checkA corneta do Cunio – Queimando etapas

44 comentários em “A corneta do Cunio – Queimando etapas

  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    junho 20, 2009
    Responder
  • Cássio Andrade
    junho 20, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    junho 20, 2009
    Responder
  • LOURENÇO CORSI NETO
    junho 20, 2009
    Responder
  • Dalla Valle
    junho 20, 2009
    Responder
  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    junho 20, 2009
    Responder
  • Cássio Andrade
    junho 20, 2009
    Responder
  • Dalla Valle
    junho 19, 2009
    Responder
  • LOURENÇO CORSI NETO
    junho 19, 2009
    Responder
  • Fabiano Bernardi
    junho 19, 2009
    Responder
  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    junho 19, 2009
    Responder
  • Julio Coelho
    junho 19, 2009
    Responder
  • Arthur Azevedo Ribeiro
    junho 19, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    junho 19, 2009
    Responder
  • LOURENÇO CORSI NETO
    junho 19, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Pieritz
    junho 19, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    junho 19, 2009
    Responder
  • Claudio Tanaka
    junho 19, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Novelini
    junho 19, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    junho 19, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    junho 19, 2009
    Responder
  • LOURENÇO CORSI NETO
    junho 19, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Novelini
    junho 19, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Novelini
    junho 19, 2009
    Responder
  • Marcelo Barbagallo
    junho 19, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    junho 19, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    junho 19, 2009
    Responder
  • Arthur Azevedo Ribeiro
    junho 19, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    junho 19, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    junho 19, 2009
    Responder
  • Arthur Azevedo Ribeiro
    junho 19, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    junho 19, 2009
    Responder
  • Arthur Azevedo Ribeiro
    junho 19, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    junho 19, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    junho 19, 2009
    Responder
  • Diego Caio Terense Peressinotto
    junho 19, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    junho 19, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    junho 19, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Novelini
    junho 19, 2009
    Responder
  • Luiz Rogerio Napoleão
    junho 19, 2009
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    junho 19, 2009
    Responder
  • Marcio Zambon
    junho 19, 2009
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    junho 19, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Novelini
    junho 19, 2009
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *