Os balanços dos clubes brasileiros – 2

Os balanços dos clubes brasileiros – 2

agosto 7, 2009 12 Futebol com Números

Por Luís Fernando Tredinnick

Divulgação autorizada mediante explícita citação
do autor e do blog Terceira Via Verdão

 

AlviVerdes, na semana passada começamos a explorar as finanças dos clubes e vimos que uma das formas que existe de se medir o grau de endividamento dos clubes é comparar o tamanho de suas dívidas com as receitas.

 

Nesse quesito o nosso Palmeiras é um dos clubes com melhor situação, porém ainda apresentamos prejuízo em 2008 e precisamos rapidamente reverter essa situação.

 

Como eu disse, precisamos sempre colocar em perspectiva o que acontece com os clubes brasileiros.  Temos uma relação dívida/receita de 0,55.

 

COMO OS CLUBES ESTRANGEIROS ESTÃO ENDIVIDADOS?

 

Observem no gráfico abaixo alguns exemplos para a temporada finalizada em 2008 (relação dívida / receita anual):

 

Então, temos que os clubes da primeira divisão inglesa tem em média uma dívida de 1,7 vezes a sua receita. O tão poderoso Manchester United tem uma dívida de 2,7 vezes a receita. O Real Madrid devia mais do que a sua receita anual (com os empréstimos feitos para a compra do Kaká e do C. Ronaldo, essa dívida deve ter ido a mais de duas vezes a receita)

 

SURPRESA?

 

Alguém aí teve alguma surpresa?  É por essas e outras que eu sempre brinco dizendo que vou ficar milionário dando aula de finanças para (alguns) jornalistas.  Eles simplesmente ignoram o fato que as finanças dos clubes brasileiros não são assim tão diferentes dos clubes estrangeiros.

 

ENTÃO?

 

Tudo bem que os europeus têm condições de financiamento muito melhores do que as nossas (os ingleses pagam em média 5,6% de juros anuais nas dívidas, enquanto nós pagamos muito mais), mas o modelo do futebol brasileiro é o mesmo que o dos chamados “países desenvolvidos”: o do endividamento!

 

Os clubes se endividam para investir em estádios e se endividam para comprar jogadores. Simples assim.

 

No Brasil fazemos a mesma coisa.

 

Então, olhem que interessante: um dos caminhos que o Palmeiras poderia seguir seria o de um maior endividamento, no estilo que os clubes europeu fazem. 

 

Quando o Palmeiras der lucro de maneira consistente, fazendo com que os credores (preferencialmente bancos) tenham certeza que seriam pagos, poderíamos ter uma taxa de juros baixa, o que nos permitiria administrar um empréstimo de, digamos, uns R$ 50 milhões.  Imaginem no mercado brasileiro o tamanho do estrago que um clube poderia fazer com esse volume de dinheiro para comprar jogadores?

 

Evidentemente que eu não defendo um aumento da dívida indiscriminada, uma vez que antes precisamos aumentar a receita e ter lucro de maneira consistente! 

 

Mas fica aqui a provocação! 

 

É divertido pensar que sempre que alguém disser que os clubes brasileiros precisam modernizar a administração, você pode perguntar de bate-pronto: “Ah, você sugere que o Palmeiras DOBRE o tamanho de sua dívida???”!!!

 

Saudações AlviVerdes!

 


*Luís Fernando Tredinnick escreve todas as sextas-feiras no 3VV, explicando a quem conhece e também a quem não conhece os números no futebol.

37310cookie-checkOs balanços dos clubes brasileiros – 2

12 comentários em “Os balanços dos clubes brasileiros – 2

  • Administrator
    agosto 10, 2009
    Responder
  • Eduardo Colli
    agosto 10, 2009
    Responder
  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    agosto 9, 2009
    Responder
  • Marco Túlio de Vasconcelos Dias
    agosto 8, 2009
    Responder
  • Marco Aurélio Novelini
    agosto 8, 2009
    Responder
  • Administrator
    agosto 7, 2009
    Responder
  • Lucélia Batista de Almeida
    agosto 7, 2009
    Responder
  • João Gomes Yzquierdo Neto
    agosto 7, 2009
    Responder
  • Marcio Zambon
    agosto 7, 2009
    Responder
  • Alvaro G Mucida
    agosto 7, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    agosto 7, 2009
    Responder
  • Raphael Hussni Leonessa
    agosto 7, 2009
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *