As contrapartidas na construção das arenas

outubro 30, 2009 15 Allianz Parque

Por Claudio Baptista Jr.

Pessoal, sabemos que obras envolvendo impactos
viários são alvo de exigências de contrapartidas solicitadas pela Companhia de
Engenharia de Tráfego (CET) a fim de que esta aprove o projeto.

Nesta fase de aprovação da nossa Arena, o
projeto vem passando nos últimos tempos por diversos órgãos da Prefeitura onde
cada um foi dando seu parecer positivo, ou seja, aprovando segundo sua
competência o projeto da nossa Arena.

Agora,
pelo que temos ouvido, falta “pouco” e estão em marcha as discussões junto a
CET sobre as famosas contrapartidas. 

Quem sabe este órgão exija da WTorre algo como
alargamentos de avenida, passarelas de pedestres, câmeras e afins. Tudo por não
menos de algo em torno de R$15 milhões? Chute meu.

Esse seria um bom dinheiro a ser investido
diretamente no projeto da Arena, aumentando o conforto, disponibilizando mais
algumas funcionalidades de entretenimento, etc., contudo será destinado a
melhorias para a região.

Não entro no mérito sobre essa questão porque
todo o investimento direto para a população é bem vindo, só que de repente me
deparo olhando para o outro lado do muro.

Sabem o que vejo por lá? Avenida Perimetral,
Linha 17 – Ouro de trem elevado que se desvia totalmente do escopo do projeto*
mais área e dinheiro público destinados a estacionamento. 

Ninguém aqui é bobinho e já notou a diferença.
Um paga as contrapartidas, o outro ganha.

E para piorar a situação, não apenas ganha,
mas ganha com dinheiro público, sendo que o clube do outro lado do muro não tem
projeto finalizado e ainda nem o protocolou junto a Prefeitura para finalmente
entrar no processo burocrático de aprovação o qual estamos passando.

Acho que a CET não terá muito que cobrar de
contrapartidas já que estará quase tudo feito.

Abraço,

Claudio Baptista Jr. – ansioso pela aprovação
da nossa Arena junto a Prefeitura.


* O referido escopo diz que o projeto do Metro
de São Paulo tem como fim integrar o aeroporto de Congonhas à malha metroviária
da cidade. Interessante! Isso justifica levar uma linha de milhões de reais até
a estação São Paulo-Morumbi da linha 4 do metro passando na porta do estádio do
Morumbi?

Por que aquela estação e não, por exemplo, a última que eliminaria uma
baldeação de quem pega a linha 4 em seu início (Estação Vila Sônia)?

Esta obra
integra quem à malha metroviária da cidade: o Aeroporto ou o Estádio?

 

 

 

43390cookie-checkAs contrapartidas na construção das arenas

15 comentários em “As contrapartidas na construção das arenas

  • Fernando Talarico
    novembro 5, 2009
    Responder
  • Matheus Henrique Barbosa
    outubro 31, 2009
    Responder
  • Cássio Andrade
    outubro 30, 2009
    Responder
  • Cássio Andrade
    outubro 30, 2009
    Responder
  • Marco Túlio de Vasconcelos Dias
    outubro 30, 2009
    Responder
  • Cássio Andrade
    outubro 30, 2009
    Responder
  • José Santos Silva Júnior
    outubro 30, 2009
    Responder
  • Junior Gottardi
    outubro 30, 2009
    Responder
  • Claudio Baptista Jr.
    outubro 30, 2009
    Responder
  • Claudio Baptista Jr.
    outubro 30, 2009
    Responder
  • BLOG 3VV
    outubro 30, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    outubro 30, 2009
    Responder
  • Claudio Baptista Jr.
    outubro 30, 2009
    Responder
  • BLOG 3VV
    outubro 30, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    outubro 30, 2009
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *