Análise da Arbitragem R37 – Palmeiras 3×1 Atlético-MG

dezembro 1, 2009 0 Jogos

Por Danilo Cersosimo

Numa rodada eletrizante vimos grandes partidas e lindos gols, especialmente o de Diego Souza, mas infelizmente vimos também lances polêmicos e jogos idem.

Sandro Meira Ricci (DF) teve boa atuação na partida entre Palmeiras e Atlético no Palestra Italia. Pelo Palmeiras apenas Sandro Silva foi punido com cartão amarelo, o que não lhe impedirá de jogar a final contra o Botafogo no RJ.

Pelo Atlético 4 jogadores foram advertidos, sendo que Carlos Alberto foi expulso ao levar o segundo amarelo em entrada violenta e proposital em Wendell. Na minha opinião o palmeirense deveria ter  levado amarelo na jogada imediatamente anterior – possivelmente teria evitado o revide acintoso de Carlos Alberto e este não seria expulso. Não creio, no entanto, que isto tenha influenciado o placar.

Sandro Meira Ricci alternou atuações muito boas com desempenhos equivocados durante o campeonato. No jogo do Palestra, no último domingo, foi bem. Falaremos mais sobre os principais árbitros ao término do campeonato.

***

Em Goiânia, numa excelente partida de futebol (sem ironias) vimos um Goiás jogando como time grande (poderiam ter ido muito mais longe!) e derrotando o favorito SPFC, por 4×2. Poderia ter sido 5×2 não fosse um pênalty escandaloso sofrido por Iarley não marcado por Heber Roberto Lopes (PR).

***

Em Recife, na vitória que elevou o Inter ao 2º posto no campeonato, vimos o árbitro Paulo César de Oliveira atuar de maneira irregular mais uma vez – o 1º gol do Sport estava impedido e quando a partida já estava 1×0 para os pernambucanos o goleiro Lauro deveria ter sido expulso ao cometer pênalty no atacante que ia entrar com bola em tudo. O árbitro nada marcou…

***

Já em Campinas… não vamos nem entrar no mérito sobre a postura do time do Corinthians – fosse o futebol brasileiro sério, o Barueri teria sido punido pelo que fez na véspera do jogo contra o SPFC, o STJD não julgaria pela cor das trancinhas e árbitros como Simon, Gaciba e Roman não apitariam.

Mas o Roman apitou e foi justamente em Campinas. Basicamente são três os lances mais polêmicos: o pênalty alegado por Ronaldo, não aconteceu. A expulsão de Chicão, é compreensível, pela maneira como o corinthiano vai na jogada, em que pese não ter acertado o adversário. Ressalte-se que o árbitro estava fora da jogada e foi comunicado pelo auxiliar. Já o pênalty que gerou o segundo gol do Flamengo, na minha visão, não aconteceu. Por mais que a imagem congelada mostre o defensor com os braços nas costas do flamenguista, não creio que isso tenha sido suficiente para derrubá-lo. O atacante, notando o contato, mergulha e cava o pênalty.

A arbitragem de Roman foi ruim como sempre. Se posiciona mal, inverte faltas, trava o jogo a todo instante. Porem, as reclamações de jogadores, treinador e diretoria do Corinthians servem apenas para tentar apagar a má impressão deixada pelos jogadores do Corinthians, que poderiam ter se esforçado bem mais e honrar uma camisa centenária.

44480cookie-checkAnálise da Arbitragem R37 – Palmeiras 3×1 Atlético-MG

0 comentários em “Análise da Arbitragem R37 – Palmeiras 3×1 Atlético-MG

  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    dezembro 3, 2009
    Responder
  • gilberto giangiulio Junior
    dezembro 3, 2009
    Responder
  • Raul Ricardi
    dezembro 2, 2009
    Responder
  • Marcelo Barbagallo
    dezembro 2, 2009
    Responder
  • JOSELITO LUIZ GONÇALVES
    dezembro 2, 2009
    Responder
  • JOSELITO LUIZ GONÇALVES
    dezembro 2, 2009
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *