A Corneta do Cunio – Reflexões em frente ao espelho (1/2)

dezembro 18, 2009 16 Corneta do Cunio

POR ALBERTO CUNIO

Natalinos alviverdes,
chegando o final de ano temos sempre aquela necessidade de fazer um “balanço”
em nossas vidas. O que fizemos, o que deixamos de fazer (esta lista é sempre
enorme), acertos, erros, êxitos, reveses… O mais importante é que TEMOS que
fazer isso.
Faz bem
e nos ajuda a crescer mais fortes, a não incorrermos nos mesmos equívocos do
ano que passou e também nos encoraja e renova o espírito.

Belas palavras, mas
eu tive uma ideia melhor em se tratando do Palmeiras. Precisamos literalmente
“deitar no divã”. Isso mesmo.
Como para a maioria absoluta de nós mortais, minha sugestão é clara e
objetiva: nosso clube precisa de TERAPIA.

Antes que os mais céticos
critiquem a inusitada ideia, posso lhes lembrar que mesmo sabendo que fazer
terapia é algo muito contestado (já que ninguém acha que precisa ou pensa que é
uma grande bobagem), a verdade é inconteste: terapia nos auxilia, e muito, a
resolver nossos próprios problemas. A NÓS MESMOS resolvermos nossos problemas.
Terapeuta nenhum tem soluções mirabolantes para nenhuma enrascada pessoal, seja
ela recente ou da infância. Ele apenas abre nossos olhos para o que está
acontecendo e nos orienta a pensar uma solução viável. Detalhe: os problemas mais
complexos, mais incrustados em nosso íntimo, levam tempo. Muito tempo para
serem rediscutidos, redesenhados e trabalhados. Em suma, é um processo de LONGO
PRAZO.

Acabada a explanação
freudiana ou junguiana, como queiram, voltemos à vaca fria. O Palmeiras precisa
de terapia, porém, evidentemente não há um terapeuta clubístico, ou coisa
assim. Como uma instituição, há até algumas boas consultorias que podem nos
auxiliar, mas não antes de fazermos o principal dever de casa: a autoanálise, a
REFLEXÃO. E em frente ao ESPELHO.
Temos que ACEITAR que temos problemas crônicos e que devem ser tratados.

Antes que eu exponha
o resultado provável destas reflexões, na minha humilde opinião, gostaria de
ouvir todos vocês, ilustres e iluminados comentaristas do 3VV.
Assim posso acrescentar seus
pensamentos na coluna de Natal (2/2), onde literalmente radiografaremos as
entranhas do nosso amado clube, seu ID, seu EGO e seu SUPEREGO.

Como é de praxe,
mesmo sendo tempo de recesso e ressaca, temos que mandar a CORNETA em alguém,
não é mesmo? Pois bem, não vamos polemizar, mas apenas cornetear de forma
hilária: que tal o MURIQUI? Que preferiu ouvir o Lero-Lero dos empresários e do
PROFEXÔ ao invés de vestir uma camisa com as glórias do nosso Verdão? Com todo
respeito ao Galo e sua história, que não teve nada a ver com essa decisão,
tenham certeza. Mas daí, para quem foi esnobado por Carlinhos Bala, Somália,
Ilsinho, Deivid, Richarlyson… Quem é MURIQUI? Melhor mesmo nos livrarmos de
um cabecinha de ostra destes antes que ele venha para cá e vire mais uma
encrenca. Porque solução ele está a anos-luz de ser uma.

Até a próxima semana com a segunda parte desta corneta.

45450cookie-checkA Corneta do Cunio – Reflexões em frente ao espelho (1/2)

16 comentários em “A Corneta do Cunio – Reflexões em frente ao espelho (1/2)

  • Eduardo Carraro Milagre
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Alberto Cunio
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Eduardo Forastiero
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Eduardo Carraro Milagre
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Marcos Simonetti
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Eduardo Forastiero
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Rogerio Rocha
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Haroldo Zaniboni
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Edvaldo Vieira
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • JOSELITO LUIZ GONÇALVES
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Marcelo Barbagallo
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Lucas
    dezembro 18, 2009
    Responder
  • Marco Túlio de Vasconcelos Dias
    dezembro 17, 2009
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *