Corneta do Cunio – O Matuto e os Laranjas

março 29, 2010 14 Corneta do Cunio

Desorientados alviverdes, o DROPS enviado
há alguns dias que continha os comentários de um amigo do 3VV “Matuto do
Interior” falava alguma coisa sobre “Laranjas Podres” dentro das alamedas palestrinas.
Por coincidência ou não, a laranja quando está dentro de um cesto ou fruteira,
pode se deteriorar com o tempo, embolorar e ESVERDEAR. Encostada às demais, vai
impregnando sua putrefação e espalhando-a até acabar de vez com todo o conjunto
de frutas. Bom, isso tudo é bem conhecido e no mundo futebolístico é um jargão
bem usado: “Tem laranja podre no grupo”.
 

Longe de querer me apossar da observação do
atento e perspicaz “Matuto”, faço questão de relembrar aos leitores do 3VV que
insisto aqui há muito tempo que a nossa dependência na dupla DS-7 e CX-10 é tão
evidente que eu pergunto: alguém se lembra de algum jogo em que ficamos sem os
dois e ganhamos a partida? Sim, é difícil ter o desfalque dos dois durante 90
minutos, mas sábado foi um exemplo. E sabem o que isso significa? Que o pé de
laranja começou a crescer já faz um bom tempo.

Para se ter ideia da facilidade com que
isso acontece, eu me recordo de uma vez disputar um torneio de futebol amador
em que nossa equipe tinha um “centroavante” daqueles meio trombadores, estilo
truculento, mas que fazia lá seus gols. Do time ele era a esperança de balançar
as redes. Sempre era o último a entrar em campo para ouvir a preleção. Ficava
arrumando a chuteira, na maior cara-de-pau, enquanto todos ficavam chamando-o
para o centro do campo. Muito encrenqueiro, virava e mexia, era expulso. No
jogo seguinte, sem ele, não tinha dúvida: era pau. O time perdia impiedosamente
até do clone do Mirassol. Na partida subsequente, porém, lá aparecia o máscara,
nariz empinado e cara de solução.

Transportem essa história para o mundo do
futebol profissional, onde falamos de bons salários (em times grandes, claro) e
PRÊMIOS por vitórias e títulos. Vocês acham que o egocentrismo humano, a
vaidade e a arrogância não entrarão em campo junto a estes supostos candidatos
a “cítricos”?

Paremos para pensar: quem são os “líderes”
de nossa equipe? Marcos, defende seu lado de ídolo, de explosivo e que tem
prerrogativas para “falar o que quer”, quando quer. Danilo, o xerife, ao
decidir permanecer no Palmeiras contra tudo e contra todos para ganhar títulos,
quer o mesmo status de Pierre como “intocável”. A dupla mencionada parágrafos
acima, não quer nada com nada. Quer mais é reverência ao seu futebol salvador
da pátria. E os demais? Pobres satélites, que se não tiverem personalidade
suficientemente fortes, sairão contaminados pelos “Laranjas Podres”.

Dentro de um grupo fechado, nunca saberemos
a verdade a não ser que façamos parte de seu dia a dia. Qualquer hipótese aqui
levantada, é mera especulação deste que vos escreve, baseada tão somente na
observação EXTERNA do que este grupo produz em campo.

Por isso mesmo, diante da dúvida, mas
corroborando com nosso nobre “Matuto”, desfiro impiedosamente minha CORNETA na
orelha dos possíveis potenciais candidatos a “Laranjas Podres”
, verdadeiro
veneno no mundo daqueles que precisam trabalhar em equipe. E prova cabal de que
os problemas de nosso clube não se resumem “apenas” à incompetência de sua
diretoria de futebol.

ALBERTO CUNIO

50820cookie-checkCorneta do Cunio – O Matuto e os Laranjas

14 comentários em “Corneta do Cunio – O Matuto e os Laranjas

  • Marco Túlio de Vasconcelos Dias
    abril 3, 2010
    Responder
  • Ricardo Fassina
    março 31, 2010
    Responder
  • Alberto Cunio
    março 30, 2010
    Responder
  • Giovanni Spinazzola
    março 30, 2010
    Responder
  • Ricardo Fassina
    março 30, 2010
    Responder
  • Ricardo Fassina
    março 30, 2010
    Responder
  • Marcio Zambon
    março 30, 2010
    Responder
  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    março 29, 2010
    Responder
  • Sergio Eduardo Pinheiro
    março 29, 2010
    Responder
  • Alberto Cunio
    março 29, 2010
    Responder
  • Administrator
    março 29, 2010
    Responder
  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    março 29, 2010
    Responder
  • Rodrigo Bucciolli Pereira
    março 29, 2010
    Responder
  • Raul Ricardi
    março 29, 2010
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *