Corneta do Cunio – Burrocracia

abril 19, 2010 14 Corneta do Cunio

Furacões alviverdes, nem sei se às vezes é vantagem ter a prerrogativa
de ter uma coluna num site de tão grande abrangência, pelo menos na comunidade
palmeirense. O sentimento que alguns comentários mostram às vezes é de que o
que aqui está escrito não é para suscitar debate em cima de um ponto de vista,
mas sim um ultraje, um disparate qualquer, com o intuito de contrariar nossos
torcedores e aumentar a revolta que já nos é peculiar em momentos de crise. Já
levantaram até a hipótese de que eu não existo e não passo de um perfil criado
pelo site. 

Pois é. Durma-se com um barulho destes.

A razão para que eu tenha iniciado a coluna com este “desabafo” é
decorrente das inúmeras discussões que foram conduzidas esta semana em torno do
jogo Palmeiras x Atlético-PR e as repercussões do entrevero entre Danilo e
Manoel. 

Não, fiquem tranquilos. Não vou continuar este assunto, já que ninguém
mais aguenta ouvir falar dele. A única coisa que eu quero é a classificação
para as quartas da Copa do Brasil e ponto final. O que eu vou falar é sobre o
que significa hoje em nossa sociedade a expressão “os fins justificam os
meios”.

O Brasil lutou muito para a conquista da tão sonhada “democracia”, onde
o governo exerce seu poder em nome do povo. Em virtude disso, mesmo com alguns
contratempos, hoje podemos expressar livremente nossas opiniões abertamente,
desde que não violemos as leis. O problema é que esta “liberdade” foi
extrapolada para a nossa vida, para o dia a dia das pessoas, sem critério, sem
escrúpulos, sem cabimento. Isso acabou gerando vários problemas, dos quais
abordo dois: a intolerância e a falta de limites.

Os episódios históricos já mostraram que suas ocorrências são cíclicas,
já que os homens têm uma dificuldade enorme em arrefecer seus anseios e acabam
desestabilizando os relacionamentos entre si. Excesso de liberdade, gera
INTOLERÂNCIA a minorias, grupos, raças, credos. Os quais começam a ser
coibidos, intimidados, criticados de forma feroz e por vezes ameaçados de
extinção.

Todo mundo já ouviu dizer que “a liberdade de um termina quando começa a
do outro”. Isso, porém, parece que não é aceito na sociedade que se julga
“democrática”. Todos acham que podem fazer e dizer o que bem entenderem, quando
quiserem, pois tudo é justificável, tudo tem uma explicação e todos devem
aceitar que assim seja. É a FALTA DE LIMITES entrando em ação e o início do
estabelecimento da BURROCRACIA no seio da sociedade. Afinal, OS FINS JUSTIFICAM
OS MEIOS. Em qualquer circunstância. O poder da BURRICE exercido em nome nem
sei de quem.

Nosso espaço aqui do 3VV é aberto e não compactuamos apenas com ofensas
pessoais e incitações contra a lei e a ordem. Afinal, temos também
responsabilidades. Tanto que a divisão de opiniões de que Danilo deveria ou não
ser punido pela diretoria após o incidente, ficou marcada (até o momento da
elaboração deste texto) ao meio.

O fato é que a atitude que ele teve contra um companheiro de profissão,
um ser humano como qualquer outro, tenha ele sido ou não provocado por atitudes
antidesportivas como pisões, cabeçadas, cotoveladas ou empurrões, não são
justificáveis dentro de uma sociedade moderna. O futebol é um esporte, mas o
país tem leis, a sociedade tem regras de conduta e cuspir na cara de outra
pessoa e insinuar ofensas racistas não apresenta endosso em nenhuma delas. Ou
seja, ou ele é punido pela sua atitude, ou voltemos para a idade média.

Parabéns por ganhar a Corneta em uníssono, Danilo. Com ou sem desculpas.

Alberto Cunio

 

 

 

 

51710cookie-checkCorneta do Cunio – Burrocracia

14 comentários em “Corneta do Cunio – Burrocracia

  • Waldecir Junior
    abril 21, 2010
    Responder
  • Alberto Cunio
    abril 20, 2010
    Responder
  • Alberto Cunio
    abril 20, 2010
    Responder
  • Signorini
    abril 19, 2010
    Responder
  • LOURENÇO CORSI NETO
    abril 19, 2010
    Responder
  • LOURENÇO CORSI NETO
    abril 19, 2010
    Responder
  • Marco Túlio de Vasconcelos Dias
    abril 19, 2010
    Responder
  • Paulo Cesar Pereira
    abril 19, 2010
    Responder
  • Alberto Cunio
    abril 19, 2010
    Responder
  • mario luiz salvoni
    abril 19, 2010
    Responder
  • Marcelo Barbagallo
    abril 19, 2010
    Responder
  • Yzquierdo
    abril 19, 2010
    Responder
  • Edvaldo Vieira
    abril 19, 2010
    Responder
  • Gaetano Misiti Neto
    abril 19, 2010
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *