Corneta do Cunio – Palmeiras Ltda

maio 10, 2010 9 Corneta do Cunio

POR ALBERTO CUNIO  

Vendidos alviverdes,

há mais ou menos um mês escrevi nesta coluna que o Palmeiras precisava de uma faxina geral e solicitei a colaboração de nossos leitores para que sugerissem o que deveria receber água, sabão e creolina. Pois bem, bons foram os comentários, mas hoje vou radicalizar. E sempre precisamos de uma gota d’água para derramar o copo da paciência, que na realidade já transbordou há tempos.

Acompanhem meu raciocínio. Para aqueles que são mais novos, entre os quais eu não me incluo, vamos contar um pouco o que era o Palmeiras até 1976, ano do último título antes de nosso doloroso “tabu” de 16 temporadas sem ganhar título expressivo (só ganhamos o Euroamerica de 1991.

Tínhamos um clube respeitado no mundo inteiro e no elenco jogadores que honravam a camisa alviverde. Jogavam realmente com amor e romantismo. Luis Chevrolet Pereira (o maior zagueiro de todos) e Leivinha (meu primeiro ídolo) jogaram até 1975, quando se transferiram para a Espanha (Luis Pereira voltou posteriormente em 81); Dudu (tio de Dorival Jr.) era treinador em 76. Passaram ainda Cesar (marrento que nem o Gladiador), Nei (ponta esquerda driblador, cansou de dar olé em Zé Maria) e o Divino… bem, este dispensa palavras. Terminamos os anos 70 ainda disputando uma final de brasileiro e montando um time muito competitivo em 79 com Telê Santana, que infelizmente não levou os títulos Paulista e Brasileiro.

Entramos os sombrios anos 80, quando a lambança começou: times medíocres, Taça de Prata e começava o time do “inimaginável”. XV de Jaú, Inter de Limeira… Na década em que nosso arquirrival de muro se consagrava, nosso Palmeiras era motivo de piadas e galhofas. E a fila que aumentava…

Nos anos 90, com a ajuda de Paulo Nicoli e o Prof. Belluzzo a Parmalat assumiu a co-gestão do futebol palmeirense. Graças a ela saímos da fila e ganhamos os títulos mais importantes de nossa história.

Com a saída da Parmalat nos anos 2000, voltamos à mediocridade, caindo para a Série B e sofrendo mais e mais. Até fazermos um acordo com a Traffic e ganharmos um Campeonato Paulista. E só.

Hoje, nossa situação não precisa de explicações. Somos um clube que ainda conta com uma das maiores, mais apaixonadas e mais fanáticas torcidas do Brasil. Entretanto essa paixão vem sendo colocada à prova por conta de conchavos políticos e antigas relações de amizade.

Enquanto comprávamos uma ilusão o clube era vagarosamente vendido. E de fora o que parece é que nos últimos meses os novos mandatários sabotaram o quanto puderam o futebol até conseguirem colocar alguém mais manipulável no topo da comissão técnica, mas que infelizmente não tem competência necessária para dirigir uma equipe do tamanho e grandeza do nosso clube.

O Palmeiras agora tem donos. E não sou eu. Nem você. Resta-me mandar a CORNETA nos que o venderam e em seus novos “proprietários”.

268980cookie-checkCorneta do Cunio – Palmeiras Ltda

9 comentários em “Corneta do Cunio – Palmeiras Ltda

  • Edvaldo Vieira
    maio 11, 2010
    Responder
  • JOSELITO LUIZ GONÇALVES
    maio 11, 2010
    Responder
  • Rogerio Rocha
    maio 10, 2010
    Responder
  • Waldecir Junior
    maio 10, 2010
    Responder
  • Paulo Cesar Pereira
    maio 10, 2010
    Responder
  • Sérgio Modesto Frugis
    maio 10, 2010
    Responder
  • Marcio Zambon
    maio 10, 2010
    Responder
  • Matuto do Interior
    maio 10, 2010
    Responder
  • Cássio Andrade
    maio 10, 2010
    Responder

Deixe um comentário para Edvaldo Vieira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *