As finanças do Palmeiras (parte 1)

As finanças do Palmeiras (parte 1)

maio 21, 2010 11 Futebol com Números

Pessoal, este é o primeiro post da série sobre as finanças
do futebol do Palmeiras.  

Vamos começar observando na tabela abaixo as receitas do futebol nos últimos três anos:

 

Como eu havia dito no posto anterior, é notável que as
receitas do Palmeiras, sem incluir as receitas com a negociação de atletas,
tenham mais do que dobrado entre 2007 e 2009.

Vamos detalhar um pouco mais esse aumento:

Cotas de TV: 
três grandes fatores contribuíram para o aumento de receitas:

(i)                 
o novo contrato com a Globo para a transmissão
na TV aberto dos campeonatos – neste caso a cota do Palmeiras é fixa ;

(ii)               
o aumento de participação do Palmeiras no pay-per-view, onde a cota do time
depende de uma pesquisa feita com os assinantes e ;

(iii)              
 a
participação do Palmeiras na Libertadores, cujas cotas são bem mais generosas
do que as da Copa do Brasil.

Bilheteria: como o nosso time estava competitivo e
foi competitivo até o final do famigerado Brasileirão de 2009, a torcida
compareceu em peso.  Adicionalmente os
jogos da Libertadores tiveram impacto direto, já que a arrecadação do Palmeiras
era de praticamente R$ 1 milhão por jogo! 
Ou seja, dos R$ 24,4 milhões de arrecadação total, mais de R$ 5 milhões
vieram apenas dos jogos da Libertadores! Desnecessário dizer que em 2010 essas
receitas vão cair e muito…

Publicidade e Patrocínio:  aqui é onde se pode ver claramente o trabalho
do marketing do Palmeiras. Aumentamos a receita em uma vez e meia!  Com a renegociação dos contratos de
patrocínio da camisa e do fornecimento de material esportivo conseguimos tirar
grande parte do atraso que tínhamos em relação aos principais concorrentes. 

Timemania: 
como já discutimos por aqui, as receitas da Timemania estão muito abaixo
do esperado e elas não serão suficientes para cobrir as dívida tributárias
deixada, em grande parte, por um certo inominável ex-presidente que adora
afirmar que deixou dinheiro em caixa. 

Por sinal, pelas minhas contas esse inominável ex-presidente
deixou de pagar em impostos algo próximo de R$ 40 milhões, entre os impostos da
Timemania e IPTU!  Ora, dia 19/5 esse tal
inominável ex-presidente afirmou que deixou R$ 32 milhões em caixa.  Bom, se ele não pagou esses R$ 40 milhões em
impostos (ainda preciso checar esse número), quer dizer que ele deixou na
verdade o Palmeiras com um buraco de caixa de uns R$ 8 milhões!  Deixar dinheiro em caixa por deixar de pagar
impostos é fácil para qualquer um, não é?

Negociação de atletas: aqui vemos o tamanho do
esforço financeiro que o Palmeiras fez no final do ano passado para segurar
seus principais atletas e brigar pelo título. 
Infelizmente esse esforço não resultou no título.  Para aqueles que se apressarem em dizer que
teria sido melhor negociar os atletas, é óbvio que nesse caso muitos diriam que
não conseguimos o título justamente porque negociamos os atletas, que pensamos
em dinheiro e não em desempenho esportivo, blá-blá-blá…

Pois é, se por um lado aumentamos praticamente todas as
receitas, por outro diminuímos uma das mais importantes para se fechar as
contas no futebol: a negociação de atletas. 
O Palmeiras ainda tem um longo caminho pela frente para desenvolver
formas alternativas de receitas.

Bom, semana que vem iremos explorar um pouco mais os custos
do futebol.

Saudações Alviverdes!

* Luís Fernando
Tredinnick escreve às sextas-feiras no 3VV explicando a quem conhece, e a quem
não conhece, os números do futebol

53260cookie-checkAs finanças do Palmeiras (parte 1)

11 comentários em “As finanças do Palmeiras (parte 1)

  • Fabiano Riva Gemignani
    maio 24, 2010
    Responder
  • Marcos Piovesan
    maio 22, 2010
    Responder
  • Marco Túlio de Vasconcelos Dias
    maio 21, 2010
    Responder
  • Administrator
    maio 21, 2010
    Responder
  • Matuto do Interior
    maio 21, 2010
    Responder
  • Marcio Zambon
    maio 21, 2010
    Responder
  • Fernando Talarico
    maio 21, 2010
    Responder
  • Fábio Mallaco Moreira
    maio 21, 2010
    Responder
  • Antonio de Quadros Andrade Júnior
    maio 20, 2010
    Responder
  • Cássio Andrade
    maio 20, 2010
    Responder
  • Andre Luiz Martins Oltemare
    maio 20, 2010
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *