Corneta do Cunio – Bolo sem fermento

agosto 27, 2010 6 Corneta do Cunio

 

Nem sei dizer se é mais difícil perder de um time como o CAG, ou constatar que temos problemas crônicos e inexplicáveis. Outro dia fiz um comparativo dos atuais atletas e agora retomo o assunto para que entendamos: ídolos, com veteranos, com novatos de fora, com pratas da casa… E um técnico de ponta, com psicóloga a tira-colo e tudo. Uma verdadeira salada que, por mais que a intenção fosse de utilizar os melhores ingredientes, não dá liga. Falta fermento nesse bolo.

Vamos ignorar maiores observações do que vimos em campo e nos concentrarmos no que vimos fora dele: 13 mil torcedores, festa do começo ao fim, tapa na cara com luva de pelica numa equipe que beirou o ridículo. E ainda levantaram a lebre de que temos mercenários no elenco… Será?

Ainda bem que a Sulamericana continua lá na frente e temos tempo de fazer qualquer coisa para tentar corrigir. Afinal, o Campeonato Brasileiro está amargo e, para não se tornar um pesadelo, há muita coisa a ser feita. Posso listar algumas aqui:

– Trocar as chuteiras do Tadeu. Por um par novo.

– Trocar as chuteiras do Vitor. Colocar a esquerda no pé esquerdo. E assim por diante.

– Trocar as lentes de contato do Rivaldo. Acertar a bola, não canela do adversário.

– Treino de finalização para o Luan. Começar com um gol de futebol americano e terminar com um gol de futebol de botão.

– Trocar o Mauricio Ramos. De time. 

Como ontem foi aniversário do Palmeiras e o presente que a torcida recebeu foi de grego, minha CORNETA sai de campo em respeito a esta camisa que, aos 96 anos, não merecia tal vexame. Pena que raros são os que dentro de campo sofreram com isso.

57150cookie-checkCorneta do Cunio – Bolo sem fermento

6 comentários em “Corneta do Cunio – Bolo sem fermento

  • Alberto Cunio
    agosto 29, 2010
    Responder
  • Fabricio Cirelli
    agosto 27, 2010
    Responder
  • Wagner César Silva de Oliveira
    agosto 27, 2010
    Responder
  • Rogerio Rocha
    agosto 27, 2010
    Responder
  • Emerson Prebianchi
    agosto 27, 2010
    Responder
  • Marcos Lavieri
    agosto 27, 2010
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *