As Finanças do Palmeiras – 3

junho 13, 2014 10 Futebol com Números

Endividados Alviverdes, depois de vermos diversos estádios sendo construídos com o nosso dinheiro, hoje é a vez de falarmos daquele tema que costuma causar calafrios para os Palmeirenses: a nossa dívida!

Os gráficos que iremos compartilhar aqui ajudam a explicar porque tem sempre alguém da diretoria do Palmeiras reclamando da nossa “situação financeira”.

Observem no gráfico abaixo o que os balanços dos clubes apontam como dívida total (notas explicativas para quem gosta de detalhes estão no final do post), em milhões de reais:

Dívida Total

Olhando o gráfico parece que a nossa situação não é assim tão ruim, não? Os clubes do estado tem mais ou menos o mesmo patamar de dívidas: pouco mais de R$ 300 milhões! E a boa notícia é que o Palmeiras deve um pouco menos: “apenas” R$ 280 milhões!

A nota importante fica para o comportamento do São Paulo, cuja dívida total foi a que mais aumentou entre 2010 e 2012. Esse tipo de crescimento vertiginoso costuma apontar algum grave problema de caixa. A queda de 2012 para 2013 tem uma explicação bem simples: a venda daquela farsa chamada Lucas. A venda por um valor exorbitante de um jogador de qualidade bem mediana foi utilizada para saldar parte das dívidas do clube.

O grande problema é que quando lidamos com dívida e outros quesitos financeiros temos que olhar o peso relativo das coisas. O gráfico abaixo compara a evolução da dívida como porcentagem da receita:

Dívida porcentagem receita

Agora fica mais fácil entender porque estamos em uma situação tão complicada.

Devemos mais do que um ano e meio de receitas! Enquanto o Santos soube utilizar o “efeito Neymar” até 2012 e aumentar as receitas e trazer suas dívidas para um patamar um pouco mais administrável, o Palmeiras não soube fazer nenhuma das duas coisas.

Depois de 2012 o Santos já mostrou que vai voltar a se endividar e ficar esperando que alguma outra geração Diego & Robinho apareça.

Já São Paulo e Corinthians conseguiram manter suas dívidas “estáveis” em porcentagem da receita. Essa certa estabilidade faz com que o clube pareça “confiável” e “bem administrado” e – por essas qualidades – encontre parceiros dispostos a emprestar dinheiro.

Como sempre cabe a pergunta: se tem sempre alguém do Palmeiras dizendo que o clube está endividado, por que não tem alguém cobrando o aumento de receitas?

Para aqueles que tem estômago, teremos mais detalhes na próxima semana!

Saudações AlviVerdes

* Luís Fernando Tredinnick escreve às sextas-feiras no 3VV explicando a quem conhece, e a quem não conhece, os números do futebol

Dívida total, ou seja, a parte do balanço que se encontra sob a denominação “passivo”, sem considerar o que o clube tem a receber. E desse total eu excluí um item chamado “receitas a realizar”. Esse “receitas a realizar” costuma ser o adiantamento de cotas de TV ou de patrocinadores.

Dívida como % da receita: é a divisão do valor da dívida total do ano pela receita daquele mesmo ano. Portanto, se a receita aumentar, o tamanho da dívida diminui proporcionalmente

157680cookie-checkAs Finanças do Palmeiras – 3

10 comentários em “As Finanças do Palmeiras – 3

  • Diego
    junho 21, 2014
    Responder
  • R Filho
    junho 17, 2014
    Responder
  • Bill Carioca
    junho 13, 2014
    Responder
  • Zek
    junho 13, 2014
    Responder
  • mario luiz
    junho 13, 2014
    Responder
    • Redação 3VV
      junho 13, 2014
      Responder
  • Marcelo Vaccari
    junho 13, 2014
    Responder
  • Redação 3VV
    junho 13, 2014
    Responder
  • Marcelo Vaccari
    junho 13, 2014
    Responder
  • Daniel
    junho 13, 2014
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *