Corneta do Cunio – Jogador 8 x 0 Atleta

março 16, 2015 72 Corneta do Cunio

Crédito da foto: facebook

Por Alberto Cunio

Frustrados alviverdes, enquanto assistimos ao catadão do senhor O.O. desfilar em nosso maravilhoso Allianz Parque, fica a pergunta: onde está o regente desta orquestra destrambelhada que estamos testemunhando com nosso manto sagrado?

Pegando carona nas palavras desta semana de nosso mestre historiador e 3VVista, Jota Christianini, se não ganhamos mais clássicos por falta de um maestro em campo, onde está o único que poderia ocupar este posto? Já sei, já sei…No estaleiro.

O título desta coluna é fruto de uma conversa informal com um grande palmeirense e cardiologista amigo meu. E sua definição sobre o que gira em torno deste chileno foi precisa: se ele em campo (quando aparece) é um jogador nota 8 (entenda-se, para os padrões atuais), sua condição atlética é de uma precariedade incompatível com atletas de alto rendimento, como é exigido pelo futebol profissional.

O que fazer então? O nosso O.O. está nitidamente na dependência de um Harry Potter surgir e salvar sua pele. Caso contrário, sucumbiremos no Paulista e na Copa do Brasil, antes de nosso mecenas decidir que o ex-modelo não serve mais para o clube. Em suma, passam-se os anos e continuamos reféns de um pseudoatleta que muitos acham que joga, muitos têm certeza, mas muitos também já estão com as maletas cheias dele.

Se lembrarmos de outro jogador com perfil parecido e que jogou no clube, Pedrinho, o mesmo que abdicou dos salários enquanto frequentava o DM, o caso de Valdivia muda de figura: manipulador, cínico e demagogo, o chileno faz uso de sua popularidade entre os torcedores para controlar a direção do clube como uma marionete. Seu contrato está vigente e ele, como de costume, fora de campo, apenas auferindo vencimentos.

Qual a saída? Como fazemos para nos livrarmos da sina dos últimos 16 anos, muito mais nefastos que similar período de seca de títulos entre os anos 70 e 90?

Não basta que esta coluna esteja aqui apenas apontando problemas. Sugestões são sempre bem vindas. E além das que eu espero de todos os leitores, apresento as minhas também.

O Palmeiras precisa deixar de lado essa busca incessante por super-heróis. O futebol mudou. Se é de nossa tradição termos ídolos em campo, saibamos dançar de acordo com a música. Nosso arquirrival foi campeão de tudo sem nenhuma batuta em campo, mas com uma preciosa fora dele, no banco. E segue a passos largos para repetir o êxito. Por que cargas temos que continuar dando murros em ponta de faca? Humildade às vezes faz bem. Motivo pelo qual a CORNETA vai para nossa torcida, que lota o estádio, mas ainda está perdida procurando a quem aplaudir. Pior: pode ser que sejam somente o Cristaldo, Dudu e companhia.

A Corneta no Twitter não segue os ufanistas. Torce com coerência. Siga! @Corneta3VV

180510cookie-checkCorneta do Cunio – Jogador 8 x 0 Atleta

72 comentários em “Corneta do Cunio – Jogador 8 x 0 Atleta

  • willames
    março 17, 2015
    Responder
  • Paulo Verde
    março 17, 2015
    Responder
  • Mateus Alves
    março 17, 2015
    Responder
    • Gustavo Aroni
      março 17, 2015
      Responder
    • Levi
      março 17, 2015
      Responder
  • Lucas Ferraroni
    março 17, 2015
    Responder
  • lito
    março 17, 2015
    Responder
  • lito
    março 17, 2015
    Responder
  • Gustavo Aroni
    março 17, 2015
    Responder
  • Mário Jr
    março 17, 2015
    Responder
  • Ruan Santos
    março 16, 2015
    Responder
    • Gustavo Aroni
      março 17, 2015
      Responder
    • Mário Jr
      março 17, 2015
      Responder
  • emilio maranga
    março 16, 2015
    Responder
    • HARLEY
      março 16, 2015
      Responder
  • Levi
    março 16, 2015
    Responder
    • Gustavo Aroni
      março 16, 2015
      Responder
      • Levi
        março 16, 2015
        Responder
        • Levi
          março 16, 2015
          Responder
  • Levi
    março 16, 2015
    Responder
  • Levi
    março 16, 2015
    Responder
  • Gustavo Aroni
    março 16, 2015
    Responder
    • Elcio
      março 17, 2015
      Responder
      • Gustavo Aroni
        março 17, 2015
        Responder
  • Rogerio Rocha
    março 16, 2015
    Responder
  • Rogerio Rocha
    março 16, 2015
    Responder
  • Mateus Alves
    março 16, 2015
    Responder
  • Lucas S. Cello
    março 16, 2015
    Responder
    • Murillo
      março 16, 2015
      Responder
  • Rodrigo PORTES
    março 16, 2015
    Responder
  • Caio
    março 16, 2015
    Responder
  • Danilo Peressim
    março 16, 2015
    Responder
    • DIOGO SAPIA
      março 16, 2015
      Responder
  • Luiz Sergio neto
    março 16, 2015
    Responder
  • Gustavo Aroni
    março 16, 2015
    Responder
    • Alex
      março 16, 2015
      Responder
      • Gustavo Aroni
        março 16, 2015
        Responder
    • DIOGO SAPIA
      março 16, 2015
      Responder
  • Gustavo Aroni
    março 16, 2015
    Responder
  • lito
    março 16, 2015
    Responder
    • DIOGO SAPIA
      março 16, 2015
      Responder
  • FC
    março 16, 2015
    Responder
      • FC
        março 16, 2015
        Responder
  • lucas
    março 16, 2015
    Responder
    • Alex
      março 16, 2015
      Responder
  • Diogo Belotto
    março 16, 2015
    Responder
    • Gustavo Aroni
      março 16, 2015
      Responder
  • Victor Sbrighi
    março 16, 2015
    Responder
  • Danilo Peressim
    março 16, 2015
    Responder
    • Gustavo Aroni
      março 16, 2015
      Responder
    • Paulão
      março 16, 2015
      Responder
  • Wagner
    março 16, 2015
    Responder
    • Gustavo Aroni
      março 16, 2015
      Responder
  • mário luiz
    março 16, 2015
    Responder
  • aldo londres
    março 16, 2015
    Responder
    • Gustavo Aroni
      março 16, 2015
      Responder
    • Reynaldo Zanon
      março 16, 2015
      Responder
      • aldo londres
        março 16, 2015
        Responder
  • Mateus Alves
    março 16, 2015
    Responder
  • Alex
    março 16, 2015
    Responder
  • Roberval
    março 16, 2015
    Responder
    • Danilo Peressim
      março 16, 2015
      Responder
    • aldo londres
      março 16, 2015
      Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *