A Composição do Conselho Deliberativo

A Composição do Conselho Deliberativo

julho 26, 2021 3 Conselho Deliberativo

Post de 19/01/2019 adaptado para os dias de hoje

Muitas vezes o palmeirense não entende e nem se preocupa muito com a política alviverde.

Mas é importante entender como como funcionam os poderes da SEP. Começando com o Conselho Deliberativo (CD).

O CD é composto por 300 cadeiras. 152 dessas cadeiras são dos conselheiros eleitos pelos sócios. A cada 2 anos 76 conselheiros são eleitos (ou reeleitos) para um mandato de 4 anos. Outras 148 cadeiras são destinadas aos conselheiros vitalícios (hoje são 133 conselheiros vitalícios e 15 cadeiras vagas; assunto para outro post).

Temas discutidos no Conselho

Parece que não, mas muita coisa importante passa pelo Conselho Deliberativo. Só para recordar alguns temas importantíssimos discutidos nos últimos anos:

… aprovação do prazo do mandato do Presidente para 3 anos;
… reconhecimento em balanço da dívida do Palmeiras com a Crefisa pelas contratações de jogadores;
… aprovação do mandato de Leila Pereira ao Conselho;
… aprovação do voto do sócio para eleição do Presidente;
… aprovação do contrato com a WTorre para a construção do Allianz Parque.
aprovação de contas e orçamento. E é onde o Presidente da Diretoria Executiva presta contas do seu mandato e palco de debate.

E seguramente há ainda muitos outros temas a serem discutidos, principalmente em termos de governança e gestão do clube social e do futebol.

E como se estruturam os grupos políticos da SEP para concorrerem ao CD?

A estrutura das Chapas concorrentes

Na última mudança estatutária aprovada em 2018, definiu-se que uma chapa deve concorrer com 60 candidatos ao conselho. Nem mais nem menos. Até 2017 eram 90 candidatos. Em tese essa diminuição facilitaria a composição de novas chapas.

Para entender melhor: praticamente todas as chapas até 2017 não tinham os 90 candidatos “de fato” ao conselho. Então eram incluídos sócios habilitados estatutariamente na lista de candidatos. Apenas para formarem o número de 90 candidatos.

Invariavelmente esses candidatos recebiam ZERO votos, pois não eram “de fato” candidatos. Daí optou-se por reduzir a 60 candidatos por chapa, não menos e não mais, para facilitar a organização dos grupos políticos.

Essa alteração estatutária por si só já causaria mudanças nas estruturas das chapas. Mas as intensas disputas políticas, principalmente aquelas que giraram em torno da Conselheira e Presidente da Crefisa Leila Pereira, acabaram gerando mais movimentações de alianças entre os diversos grupos políticos. Aliados passaram a ser adversários; e adversários passaram a ser aliados. Ou players, como alguns gostam de definir.

Assim hoje as antigas chapas tradicionais – Palmeiras Forte de Mustafá Contursi, Palestra, UVB e Academia – se reconfiguraram. Na última eleição para o Conselho Deliberativo, em fevereiro de 2021, concorreram quatro chapas:

Chapa Todos Palmeiras: chapa de oposição à atual Gestão do Presidente Maurício Galiotte. Elegeu 24 conselheiros, entre eles o cotado a ser candidato à Presidência esse ano de 2021, Luiz Osvaldo Pastore.

Chapa Palestra Italia: chapa da situação, encabeçada por Leila Peireira que elegeu 38 conselheiros.

Chapa UVB Itália: chapa também da situação, com candidatos ligados à antiga União Verde e Branca e ligados à situação. Essa chapa foi encabeçada por José Roberto Lamacchia, a pedido de líderes da UVB para carregarem mais votos e buscar eleger o maior número de conselheiros possível. Elegeu 14 conselheiros.

Mas a mensagem mais importante vem agora!

A eleição para o Conselho Deliberativo da SEP é muito importante para influenciar os destinos e as decisões do Palmeiras “futebol” e “clube social”. Além dos assuntos que já falamos acima onde os conselheiros participam diretamente das decisões, os conselheiros podem participar da diretoria executiva, podem se candidatar ao Conselho de Orientação e Fiscalização, e podem participar de sindicâncias para analisar e recomendar ações corretivas ou punitivas.

Portanto o conselheiro da Sociedade Esportiva Palmeiras deve representar seus eleitores. Deve ter um canal de comunicação com esses eleitores e trabalhar de forma transparente com esses eleitores.

Por isso é importante para o sócio não limitar seu voto “apenas” em quem é “gente boa”, ou no seu amigo antigo. É preciso votar em quem tem alguma competênci/qualificação que possa ajudar nos desafios que virão pela frente. Por exemplo:

  • Votar em um bom ADMINISTRADOR é fundamental. O Palmeiras precisa de novos dirigentes e lideranças. Muitos conselheiros são indicados para o cargo de diretor.
  • Votar em um bom ECONOMISTA/CONTADOR é interessante, pois ele pode ajudar nas auditorias e fiscalização.
  • Votar em um bom ADVOGADO é interessante, pois ele pode ajudar nos recursos, proposições, disputas jurídicas.
  • Votar em um bom ARTICULADOR é interessante, pois nada é feito de forma isolada. O Conselho é principalmente um órgão político.  E na política, articulação é fundamental.
  • Votar em um bom ORADOR é interessante, pois nas reuniões do CD muitos convencimentos são feitos na oratória.

Mais do que votar em um amigo, o sócio consciente deve votar naquele conselheiro que tem condições de discutir e debater os temas críticos para a SE Palmeiras, seja no clube social, seja no futebol. Que tem condições de propor mudanças e/ou executar essas mudanças, seja no papel de situação, seja no papel de oposição.

Saudações Alviverdes!!

249290cookie-checkA Composição do Conselho Deliberativo

3 comentários em “A Composição do Conselho Deliberativo

  • Junior
    janeiro 29, 2019
    Responder
  • Junior
    janeiro 29, 2019
    Responder
  • Junior
    janeiro 29, 2019
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *