Privilégio à torcida do Flamengo coloca em risco o conceito da Liga de Clubes

Privilégio à torcida do Flamengo coloca em risco o conceito da Liga de Clubes

agosto 5, 2021 0 Notícias

A indignação contra privilégios descabidos ameaça a unidade para criar a Liga dos Clubes. Mais do que isso: o rompimento de um acordo firmado na CBF no começo de 2021 expõe as desconfianças que reinam entre os principais times do país.

A decisão surpreendente do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) de permitir público em jogos do Flamengo nas cidades onde houver tal flexibilização é uma flagrante vantagem concedida ao bicampeão brasileiro – e nem entraremos na questão sanitária.

O acordo firmado entre os times da série A versava que só haveria jogos com torcida a partir do momento em que houvesse segurança sanitária e de forma igualitária, ou seja, valeria para todo mundo ao mesmo tempo.

Quando o Flamengo transferiu seu jogo contra o Defensa y Justicia, da Argentina, para Brasília, pela Libertadores, os sinais de alerta deveriam estar ligados.

A capital nacional foi a primeira a liberar púbico parcial em eventos públicos, e a Conmebol, a Confederação Sul-Americana de Futebol, bovinamente aceitou a torcida rubro-negra no estádio Mané Garrincha, oferecendo uma vantagem importante. Palmeiras, Atlético-MG, Internacional e Fluminense tiveram de jogar com estádios vazios nas oitavas-de-final da competição sul-americana.

Palmeiras, Santos e Corinthians divulgaram nas redes sociais uma nota de repúdio com o mesmo texto reclamando do privilégio concedido ao Flamengo, cuja diretoria tem se notabilizado em adotar posturas polêmicas e individualistas.

A questão é: os demais clubes ficarão apenas na nota de protesto? Vão ficar esperando o recurso da CBF contra o privilégio flamenguista? Que tal uma ameaça séria de paralisação dos campeonatos no Brasil?

Pelo menos nos primeiros meses do retorno do público ao futebol teremos clubes que poderão colocar mais torcedores do que outros nos estádios. Isso vai ocorrer porque estados e municípios vão liberar porcentagens diferentes da capacidade das arenas e isso, para a CBF, não é um problema que impeça a volta da torcida. Como não?

A prefeitura do Rio, por exemplo, liberou 10% do Maracanã para Flamengo e Fluminense nas quartas de final da Libertadores, nas duas próximas semanas — diferente da CBF, a Conmebol liberou a presença de torcedores em seus campeonatos independentemente se um país autoriza e outro não.

A decisão favorável ao clube carioca é o suficiente para colocar em xeque a existência de uma Liga de Clubes que se dispõe a organizar de forma equânime uma competição com os participantes sendo tratados da mesma maneira e sem benevolências do tribunal superior desportivo.

280370cookie-checkPrivilégio à torcida do Flamengo coloca em risco o conceito da Liga de Clubes

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *