Faltou futebol e qualidade, mas Veiga preferiu enxergar ‘equilíbrio e respeito’

Faltou futebol e qualidade, mas Veiga preferiu enxergar ‘equilíbrio e respeito’

setembro 22, 2021 0 Libertadores 2021, Notícias

Raphael Veiga teve pouco espaço no jogo contra o Atlético-MG (FOTO: CESAR GRECO/PALMEIRAS)

Nada a comemorar e ter de suportar o sarcasmo do adversário. O horrendo resultado contra o Atlético-MG pode ser considerado apenas razoável se entendermos que o empate caiu do céu e o Palmeiras não fez absolutamente nada para vencer – nenhum chute certo ao gol adversário.

“O empate é minha culpa, já que eu perdi o pênalti. Viemos para jogar e jogamos. O adversário só se defendeu”, afirmou o atacante Hulk, do time mineiro. Ele foi certeiro na análise. A partida foi ruim tecnicamente, mas o Atlético-MG foi bem melhor e mostrou ser um time bem mais organizado e melhor treinado.

Os jogadores do Palmeiras saíram de campo decepcionados – não se sabe motivo, já que não jogaram nada e não incomodaram a defesa adversária.

Os problemas? Os de sempre: meio de campo inexistente, total falta de criatividade, número imenso de passes errados e uma defesa ainda em busca de entrosamento, embora, no geral, tenha sido o setor que menos comprometeu.

Parece que Abel Ferreira esperava uma partida semelhante àquela contra o São Paulo, em que o adversário ficava com a bola, mas se mostrava frágil e ainda desentrosado e cm muitos defeitos. O Atlético-MG mostrou melhor futebol, mais organização e marcou muito melhor. O resultado? Palmeiras anulado.

Na saída para o vestiário, ao final do jogo, Raphael Veiga tentou explicar o vexame e a falta de futebol. “A gente tem um estilo de jogo de marcar forte, sair no contra-ataque intenso. Sabíamos que a equipe deles ficava muito com a bola, então tínhamos que ser inteligentes. Não que entramos só para marcar, mas é mais inteligência daquilo do que a gente se propôs a fazer.”

Inteligência foi o que menos se viu no Allianz Parque, assim como algum resquício de futebol. “Se a gente acerta alguns passes, uma bola que a gente rouba, sabendo atacar os espaços, teríamos um melhor êxito”, disse o meia como se estivesse falando para ele mesmo se convencer disso. “Não será em todos os jogos que vamos criar trinta oportunidades de gol. Tem jogo que é difícil. É uma semifinal de um campeonato disputado, dois times de muita qualidade, os dois se respeitaram.”

291260cookie-checkFaltou futebol e qualidade, mas Veiga preferiu enxergar ‘equilíbrio e respeito’

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *