O desespero pela mágica lusa reforça uma nova obsessão brasileira

O desespero pela mágica lusa reforça uma nova obsessão brasileira

dezembro 27, 2021 1 Notícias

Paulo Sousa treinava a Polônia antes do interesse do Flamengo (FOTO: DIVULGAÇÃO/FEDERAÇÃO POLONESA)

Por Marcelo Moreira

A obsessão por técnicos portugueses no Brasil – “culpa total” de Abel Ferreira – está provocando situações inusitadas. A primeira foi a contratação de um técnico septuagenário desconhecido pelo Santos, Jesualdo Ferreira, no ano passando e que foi demitido depois de poucos meses.

Outros lusos menos cotados passaram por Cruzeiro e Athletico Paranaense e não deixaram saudades. Mesmo assim, a busca incessante por um português milagreiro cresce.

É o caso do Flamengo, que não consegue se livrar da “maldição” de Jorge Jesus, que ganhou títulos no Rio de Janeiro mas que não quis saber de ficar, largando o rubro-negro para passar vergonha com o mediano Benfica, em Portugal.

A pergunta que fica é a seguinte: Paulo Sousa, o provável novo técnico do Flamengo, tem condições de pegar um time ótimo, mas em frangalhos, depois da passagem vitoriosa de Rogério Ceni e do fracasso de Renato Gaúcho?

Por que o badalado “melhor time do Brasil” foi atrás de um técnico que dirigia a seleção polonesa, a 27ª do ranking da Fifa? O que chamou a atenção do Flamengo no currículo de um português que tem currículo mirrado e passagens por oito países, entre eles País de Gales e Hungria? Será que não havia opção melhor – e mais barata – no Brasil?

O conto de fadas de achar um técnico competente e vencedor no interior da Grécia parece que inebriou dirigentes de todos os níveis no Brasil, da mesma forma que a “venda” de clubes se tornou a salvação para agremiações decadentes e falidas.

Infelizmente, as chances de algum time brasileiro repetir a história de sucesso de Abel Ferreira, resgatado do Paok grego sem grandes perspectivas, são pequenas. Paulo Sousa chegará ao Flamengo cerado de enormes expectativas e tendo de conviver com o fantasma de Jorge Jesus, o preferido que recusou o convite – mas que seguirá sendo cortejado, já que era o preferido.

A invejável trajetória de Abel Ferreira seguira sendo o modelo a ser perseguido por times desesperados por títulos lou, ao menos, um pouco de sossego. Mas não tenhamos dúvidas: op conto de fadas não se repetirá.

307970cookie-checkO desespero pela mágica lusa reforça uma nova obsessão brasileira

1 comentário em “O desespero pela mágica lusa reforça uma nova obsessão brasileira

  • Lito
    dezembro 28, 2021
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *