Al-Ahly é uma potência financeira e um colosso na África, mas pouco fez em escala global

Al-Ahly é uma potência financeira e um colosso na África, mas pouco fez em escala global

fevereiro 7, 2022 0 Notícias

O lateral Hanu fez o gol do Al-Ahly contra o Monterrey (FOTO: FIFA/GETTY IMAGES)

O maior de todos os times africanos, o mais vencedor e, possivelmente, o mais rico, mas ainda assim com uma imagem de força restrita à África e ao muno árabe. O Ah-Ahly é um frequentador assíduo do Mundial de Clubes e soberano na África, mas pouco fez de notável em âmbito global.

Há quem diga que o maior feito dos egípcios foi o terceiro lugar na competição do ano passado, quando ficou em terceiro lugar ao vencer o Palmeiras nos pênaltis. Pouco, muito pouco para ser considerado um bicho papão, como pretende parte da desinformada imprensa brasileira. é bom lembrar que, contra o mesmo Palmeiras em 2021 (edição de 2020), o time praticamente não chutou no gol.

Se o respeito sempre tem de prevalecer, a verdade também, e então temos um clube importante no cenário africano, mas sem destaque fora disso, apesar da soberania na Copa dos Clubes dos Campeões da África.

De acordo com reportagem do Ge/Globo Esporte.com, o Al-Ahly tem um orçamento anual de cerca de R$ 860 milhões, que rivaliza com o dos maiores clubes brasileiros e de clubes medianos da Europa. Entretanto, “sobra” na África.

O Al Ahly é o maior clube do continente: são 10 títulos da Liga dos Campeões da África, 42 títulos egípcios e 37 da Copa do Egito. São, ao todo, 143 troféus se forem consideradas outras competições.

Como em qualquer lugar, é impossível determinar com exatidão a quantidade de torcedores do Al-Ahly. Há quem fale que tenha 40 milhões, ou até mais, no Egito, e outros tantos no Oriente Médio. Rivalizaria com o Flamengo e times turcos como a agremiação com mais torcedores no mundo.

O Al Ahly reforçou seu elenco para o Mundial de Clubes com Percy Muzi Tau, um atacante que atuava no Brighton, da primeira divisão da Inglaterra. Para isso, o clube pagou 1,8 milhão de euros, algo impensável há alguns anos. O elenco tem seis jogadores na seleção do Egito, que perdeu a decisão da Copa da África para o Senegal nos pênaltis.

São números surpreendentes e, de certa forma, impressionantes, mas ainda assim não fazem do clube uma potência mundial. Está longe de assustar qualquer adversário – tanto é que era zebra contra o Monterrey, quando jogou um futebol pobre e foi dominado, apesar de vencer por 1 a 0 e ter perdido algumas chances boas.

 

314880cookie-checkAl-Ahly é uma potência financeira e um colosso na África, mas pouco fez em escala global

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.