Dignidade e respeito tornaram o Palmeiras ainda maiores, dizem jogadores

Créditos: CESAR GRECO

Dignidade e respeito tornaram o Palmeiras ainda maiores, dizem jogadores

fevereiro 12, 2022 0 Notícias

Gómez defendeu Luan e exaltou a dedicação do time (FOTO: FABIO MENOTTI/PALMEIRAS)

Ainda abalados pela derrota, jogadores e o técnico Abel Ferreira evitaram reconhecer explicitamente a imensa superioridade do Chelsea e preferiram exaltar todo o esforço feito realizado até agora e a importância de terem chegado à final.

É legitimo e correto, mas alguns insistiram na tese de que o Palmeiras jogou de igual para a igual, casos de Dudu e Raphael Veiga – o que, evidentemente, não ocorreu.

Dudu afirmou que o palmeiras mostrou sua qualidade e que o ano tem tudo para ser ótimo, com mais títulos. “A gente tem tudo para fazer um grande ano, se jogarmos com esta qualidade, com esta competitividade tanto na semifinal quanto hoje. A equipe está de parabéns, agradecer a todos que nos ajudaram, espero que a gente possa ter um grande ano de 2022. Tivemos dignidade e estamos orgulhosos.”

Segundo ele, o Palmeiras foi bem. “A gente fez um bom jogo, o que o Abel pediu a gente procurou fazer, infelizmente tomamos um gol de pênalti na prorrogação e fica muito difícil buscar o empate. É erguer a cabeça, agradecer à torcida que veio e nos ajudou.”

De forma louvável, Abel Ferreira e Gómez elogiaram a postura do grupo e defenderam o zagueiro Luan das cobranças por conta do pênalti cometido e da expulsão ao final da prorrogação.

“O Luan é grande jogador, grande homem. Um jogador que eu gosto muito, de muita qualidade”, disse o treinador. “Seguramente, na Europa seria um grande zagueiro, e o é no Brasil. Não quero falar de forma individual porque não é correto. Nossos jogadores fizeram uma grande partida, que foi definida no detalhe. O jogo tem fatores que você não controle, tem fatores aleatórios. Você está de costas, a bola bate na mão, e o árbitro decide o pênalti. Nós temos que aceitar e seguir em frente, dar os parabéns ao adversário e não há muito mais com o que perder tempo.”

Abel quer celebrar o feito e desfrutar do momento importante da história do Palmeiras. “Meu coração, hoje, vou curar o que estou a sangrar por dentro. Mas vou dizer isso: vou proibir meus jogadores de não comemorar o segundo lugar. Ai deles que não cheguem no hotel, não tomem cerveja, no avião. Vou ser o primeiro a obrigá-los a celebrar o segundo lugar.”

Por fim, Gustavo Gómez fez coro com o treinador. Afirmou que Luan jogou demais e que não teve culpa no pênalti marcado no segundo tempo da prorrogação. “Ele foi um gigante, deu a alma pelo time. O time está de parabéns.”

315900cookie-checkDignidade e respeito tornaram o Palmeiras ainda maiores, dizem jogadores

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.