Equilíbrio foi a chave da goleada estrondosa

Créditos: Cesar Greco

Equilíbrio foi a chave da goleada estrondosa

abril 13, 2022 0 Libertadores 2022, Notícias

Navarro já marcou seis gols na Libertadores (FOTO: CESAR GRECO/PALMEIRAS)

A comissão técnica portuguesa do Palmeiras gosta de mantras para explicar, de vez em quando, a performance em determinadas partidas. Na goleada contra o fraquíssimo Independiente Petrolero, da Bolívia, a palavra de ordem foi “equilíbrio”.

João Martins dirigiu novamente a equipe no lugar do suspenso Abel Ferreira, Na entrevista depois do jogo, ele elogiou a intensidade e o foco da equipe após um primeiro tempo cheio de ansiedade, de precipitações e muitos erros de passes.

“Houve desatenção e tomamos um gol muito cedo. Cobrei foco e equilíbrio. E o segundo tempo deslanchamos e erramos menos”, disse Martins. “Eles se fecharam um pouco mais depois do gol. Precisávamos ter muitos movimentos sem bola, que não fizemos no primeiro tempo, estávamos um pouco passivos, apesar de termos tido chances para sair em vantagem.”

João Martins gostou da recuperação da equipe no segundo tempo (FOTO: CESAR GRECO/PALMEIRAS)

Para ele, foi fundamental que houvesse mudança de posições entre os jogadores. “Decidimos trocar, deixar o Veron mais aberto. Sabíamos que tínhamos que trabalhar muito esses movimentos para achar espaço na linha defensiva. Fizemos os ajustes no intervalo, sabíamos que tínhamos que furar aquela linha defensiva e desorganizar um pouco, mesmo que a bola não entrasse. Precisávamos um pouco mais de agressividade ofensiva, de risco, de ir pra cima, combinações.”

Freando um pouco as altas expectativas, Martins acredita que a equipe precisa se preservar fisicamente diante de um calendário muito apertado. “Sabemos que tem que ter sempre equilíbrio, e isso faz parte do nosso trabalho. Não é porque ficou 13 jogos sem fazer gols que era o pior do mundo, não é agora que fez seis gols em dois jogos que vai ser o melhor do mundo. Faz parte do nosso trabalho passar esse equilíbrio aos atletas.”

O auxiliar técnico destacou a bom atuação de Navarro mesmo contra um adversário bem fraco. “Independentemente de ter feito gol ou não, sabemos que o centroavante tem a necessidade de fazer o gol, mas a vida do jogador e do treinador é saber lidar e ser equilibrado em todos os níveis. Sabíamos que mais cedo ou mais tarde os gols iam aparecer, ele tem qualidade. E se nos próximos três jogos não fizer gols, não pode voltar a ser o pior do mundo.”

Claro que Rony não poderia ter ficado de fora. Martins celebrou as marcas, mas ainda assim faz questão de conter qualquer tipo de empolgação. “Não Ganhamos nada, são só três pontos e um ano bem duro pela frente.”

326120cookie-checkEquilíbrio foi a chave da goleada estrondosa

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.