Arbitragem ruim influenciou no resultado do jogo em Goiânia

Arbitragem ruim influenciou no resultado do jogo em Goiânia

abril 16, 2022 8 Notícias, Osservatorio Arbitrale

PARTIDA 

JOGO:  GOIÁS   X PALMEIRAS                                                  

DATA:  16/04/2022

ÁRBITRO 

ÁRBITRO ­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­:Bráulio da Silva Machado

ARB.ASSIST.1: Alex dos Santos

ARB. ASSIST.2: Thiago Americano Labes

ARB. VAR: Daniel Nobre Bins

AVALIAÇÃO GERAL 

O Palmeiras não jogou bem este jogo, mas foi muito prejudicado pela fraca atuação do árbitro. O gol assinalado para o Goiás foi irregular: houve falta evidente em Weverton, que impossibilitou sua chegada à bola. O árbitro consultou o VAR e, após vários minutos, o gol foi confirmado e a falta, ignorada.

Um detalhe nestas consultas ao VAR: por que o árbitro não é chamado (neste caso especifico, não o foi) para revisar o lance? Isso ocorre somente depois de muito tempo com somente o VAR analisando as imagens.

Não seria mais producente e rápido, na dúvida, requisitar a presença do árbitro central junto aos monitores e analisarem a dúvida em conjunto? Primeiro discutem os dois árbitros encarregados do VAR e, depois, chamam o árbitro central para discutirem em conjunto. Atraso de decisão totalmente improdutivo. Isto e somente uma observação de caráter geral.

DESEMPENHO RUIM 

Mas voltando ao jogo, a atuação foi muito ruim do árbitro, que teve influência direta no resultado do jogo. O jogador Apodi, do Goiás, cometeu uma falta, ainda no primeiro tempo, no limite de cartão amarelo para vermelho, aplicando uma “voadora” em defensor do Palmeiras e somente a falta técnica foi marcada. Não houve punição disciplinar (exibição de cartão), quase imediatamente, próximo a linha lateral o jogador Dudu, que sofreu uma entrada forte, também ignorada pelo arbitro.

Um capítulo à parte – e merece um comentário mais detalhado com relação ao ESTELIONATO que está ocorrendo nos jogos no Brasil. O time que está ganhando o jogo usa e abusa de retardamento do jogo, com as mais variadas simulações, ora de contusões inexistentes, demora em repor a bola em jogo, segurar a bola quando a reposição não lhe pertence, e tudo isto sob os olhares complacente da arbitragem que não toma a mínima providencia em coibir.

Um jogo que deveria ter 90 minutos e a dona do futebol (FIFA) recomenda que um mínimo de 60 minutos de bola rolando é aceitável, ou seja, um terço do tempo esta bom; seria a mesma coisa que irmos ao teatro para assistir uma peça encenada em três atos e assistir somente a  dois deles.

Bráulio Machado (FOTO: CESASR GRECO/PALMEIRAS)

FALTA DE CONTROLE 

Neste jogo, o árbitro teve péssimo controle de reposição de tempo; no primeiro tempo houve parada de jogo para hidratação e o cronômetro, por recomendação das organizadoras dos eventos, não deve ser parado, com tempo acrescido no final.

Usa-se como parâmetro dois minutos, mas costumeiramente este tempo é ultrapassado. Além do tempo para hidratação, houve atendimento do corpo médico, com entrada em campo de maca e substituição de jogador, que durou no mínimo dois minutos. O árbitro acresceu somente quatro minutos.

No segundo tempo, o panorama foi pior. Após a assinalação do gol do time goiano, vários jogadores do Goiás simularam contusão, interrompendo o andamento do jogo, além das substituições – quatro para o Goiás e três para o Palmeiras.

Houve também o tempo para verificação do VAR no lance do gol, pessimamente validado. O acréscimo ao final do jogo foi de seis minutos, posteriormente aumentado para sete. Com o gol do Palmeiras, com as reclamações do mandante, acabou em quase dez minutos o tempo de acréscimo, ou seja, o juiz não teve pulso para coibir reclamações e retardamento de jogo.

ÁRBITRO FIFA? 

É espantoso um árbitro com escudo internacional FIFA ser omisso e permitir que seu trabalho seja contestado por todos em campo, quando deveria se impor. Teria que ter mais condições e não vemos em nosso futebol.

Os assistentes tiveram um trabalho normal, o que não podemos afiançar do VAR. No lance mais capital do jogo não assumiu a responsabilidade de anular o gol, com a falta flagrante no goleiro do Palmeiras.

Depois de toda esta explanação, acho redundância dizer que assistimos uma arbitragem abaixo do aceitável.

327300cookie-checkArbitragem ruim influenciou no resultado do jogo em Goiânia

8 comentários em “Arbitragem ruim influenciou no resultado do jogo em Goiânia

  • Benjamin Benson
    abril 17, 2022
    Responder
  • Luciano quilichini
    abril 17, 2022
    Responder
  • Luciano quilichini
    abril 17, 2022
    Responder
  • Anselmo da costa
    abril 17, 2022
    Responder
  • Marcelo Moreira
    abril 16, 2022
    Responder
    • Gustavo Aroni
      abril 16, 2022
      Responder
      • oiti Cipriani
        abril 17, 2022
        Responder
        • Gustavo Aroni
          abril 17, 2022
          Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.