Palmeiras precisa de eficácia e manutenção de intensidade, diz Abel no Equador

Créditos: Cesar Greco

Palmeiras precisa de eficácia e manutenção de intensidade, diz Abel no Equador

abril 28, 2022 0 Libertadores 2022, Notícias

Abel Ferreira cobrou mais concentração e disciplina mesmo contra adversários mais fracos (FOTO: CESAR GRECO/PALMEIRAS)

O maior artilheiro do Palmeiras na história do Palmeiras proporcionou o lance mais bisonho das ultimas três temporadas na Libertadores, um vacilo que quase custou a vitória de 3 a 1 contra o Emelec, em Guayaquil – com uma boa colaboração de Mayke no gol adversário.

Assim, o time treina e passeia pelo grupo A, com 9 pontos em três jogos, apenas dois gols sofridos e a possibilidade de rodar mais o elenco desgastado. Mas não nos enganemos: os três adversários do grupo do torneio sul-americano não são parâmetro para nada. Teriam dificuldades para disputar o Paulista A-2, por mais que tenha incomodado o Palmeiras no segundo tempo.

Esse foi o ponto destacado por Abel Ferreira na entrevista após a partida. Depois de um ótimo primeiro tempo, o time novamente perdeu intensidade, eficácia e interesse pelo jogo. As falhas grotescas de Mayke (no gol adversário) e Rony foram o exemplo da desconcentração no segundo tempo.

Rony fez um, se tornou o maior artilheiro do time na história da competição, mas perdeu dois gols claros, um deleS bizarro, (FOTO: CESAR GRECO/PALMEIRAS)

“O futebol é mágico, pode estar no mesmo minuto matar o jogo e nesse mesmo minuto o nosso adversário acredita que ainda pode empatar o jogo”, reclamou o treinador. “Futebol é assim, muitas vezes não é justo. Futebol é eficácia. Tivemos muitas oportunidades para deixar o Emelec fora da partida, mas quando você tem uma, duas, três e não mata o jogo fica com a sensação: ‘O que vai acontecer agora’?”

Ele destacou que o Emelec esteve próximo do empate e realçou as boas defesas de Weverton. “No momento que o Emelec cresceu teve oportunidade para empatar o jogo. Aí a sorte também conta. Depois das substituições nossa equipe melhorou. Nos 90 minutos, a equipe que mais criou oportunidades de gol fomos nós.”

O calendário voltou a ser usado como fonte de queixas e razões para tantas mudanças no time, mas Abel reconheceu que a perda de intensidade no segundo tempo foi preocupante. “Depois do 2 a 0 ter tido mais mais calma, controlar mais o jogo com a bola, mas depois perdemos muita bola. Depois o jogo ficou em transição, não gosto do jogo partido, gosto do jogo organizado. Tivemos mais ou vez duas ou três transições para fazer o terceiro e deixar o Emelec fora, não conseguimos.”

329310cookie-checkPalmeiras precisa de eficácia e manutenção de intensidade, diz Abel no Equador

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.