Convocação para a seleção já foi um evento; comedimento de Danilo expõe uma nova realidade

Créditos: Cesar Greco

Convocação para a seleção já foi um evento; comedimento de Danilo expõe uma nova realidade

maio 12, 2022 1 Notícias

Danilo encarou de forma um pouco diferente a sua convocação para a seleção (FOTO: CESAR GRECO/PALMEIRAS)

Por Marcelo Moreira

Tempos diferentes estes em que os jogadores não vibram mais como antigamente com convocações para a seleção brasileira, em especial em alguns casos de jovens valores. Hoje ninguém mais fica na frente da TV ou grudado no celular para saber a lista.

Tudo bem, a informação chega rápido nos dias atuais, mas houve uma época em que o momento da convocação era tão esperado quanto ao que uma música nova de grande artista surgia no rádio. E o que dizer daquela bandinha de rock que conseguia emplacar uma canção em uma emissora e os músicos reuniam toda a família e amigos em volta do rádio para celebrar aquele momento?

Danilo, volante do Palmeiras pedido por 90% de torcedores e jornalistas na lista de Tite, vibrou com a convocação ao falar ao SporTV, mas foi sincero ao dizer que foi avisado por Gabriel Menino porque estava “dormindo” em Londrina – o time iria disputar uma partida pela Copa do Brasil contra a Juazeirense.

Claro que Danilo não tem culpa nisso, até porque se tronou recorrente os jogadores não mais acompanharem o momento das convocações. E os técnicos da seleção têm muita culpa nisso, justamente por conta das obviedades e injustiças cada vez mais frequentes – para não falar na falta de critérios e na ignorância dos craques que estão jogando bem por aqui

Ignorado seguidamente por Tite mesmo estando em seus melhores momentos, assim como Veiga e Dudu, por que Danilo iria se preocupar em acordar mais cedo do que pretendia para assistir a uma possível nova decepção?

Foi surpreendido, mas perdeu aquela sensação indescritível de ver o seu nome pronunciado pelo técnico de seleção principal pela primeira vez. Deve ser condenado por isso?

Danilo celebrou a convocação para a seleção com gol em Londrina (FOTO: CESAR GRECO/PALMEIRAS)

De jeito nenhum, mas acaba se tornando um exemplo de como as convocações da seleção perderam seu apelo, sobretudo para os mais jovens – jogadores e torcedores.

E, de forma triste, mas previsível, observamos a torcida palmeirense em Londrina, contra a Juazeirense, xingar Tite pela ausência de Veiga em vez de celebrar o tempo todo a convocação de Danilo.

EVENTO ESPERADO

Lá nos idos de 1978, o técnico Claudio Coutinho faria uma convocação ara um amistoso contra a França, em Paris, jogo que acabou se tornando a primeira vitória dos franceses sobre o Brasil – gol de falta de Platini.

O país parou para assistir a divulgação da lista – seria assim contra a Alemanha Ocidental e outros jogos daquele ano de Copa. “Nunca dava para dormir direito na véspera, a gente sonhava com o Maracanã lotado”, disse certa vez o meia-atacante Jorge Mendonça a este jornalista (Marcelo Moreira) – ele acabaria disputado a Copa da Argentina e quase colocou Zico no banco.

Já Zico, também conversa com o mesmo jornalista, afirmou que quase desistiu da carreira depois que ficou de fora da lista para a disputa dos Jogos Olímpicos de 1972, em Munique, na Alemanha Ocidental. A partir de 1975 passaria a ser convocado regularmente até a Copa de 1986, no México.

“A minha maior tristeza no futebol foi não ter ido à Olimpíada de 72. Eu fiz o gol que classificou o Brasil no Pré-Olímpico e meu nome não estava na lista dos convocados. Foi a maior decepção da minha vida. Na hora fui falar com o meu pai que eu queria encerrar a minha carreira e cheguei a ficar dez dias sem ir ao Flamengo”, disse o ex-craque do Flamengo. Em compensação, comemorou om a família inteira quando Claudio Coutinho anunciou seu nome para a Copa de 1978.

FORÇA DE VONTADE

Danilo transbordou de felicidade, mas não se preocupou em acordar e ver o seu nome ser citado por Tite. Nada contra, não faz diferença, mas é um sinal dos tempos. A seleção brasileira não comove mais o torcedor e maioria dos jogadores.

“Eu estava dormindo quando recebi a notícia e até agora a ficha não caiu. O Gabriel Menino me ligou me dando a notícia e eu não acreditei. Achei que era brincadeira, mas só tenho a agradecer a Deus por esse momento que venho vivendo. Agradecer aos meus familiares, a todos aqueles que estão comigo nessa caminhada”, afirmou Danilo.

Ele tentou consertar depois, demonstrando a felicidade e citando a sua trajetória difícil na vida e na carreira. “E não foi fácil até aqui. E também não será fácil daqui para frente, já que a cobrança será ainda maior. Poucos sabem das dificuldades que tive na base, do longo caminho que precisei fazer para chegar até aqui, mas consegui, consegui perseverar, e hoje com muita persistência, muito trabalho, os frutos estão sendo colhidos. Esta convocação não é só minha, é de toda a comissão técnica do clube, de todos os jogadores, funcionários e todos aqueles que me ajudaram de alguma forma.”

O Brasil enfrenta a Coréia do Sul, no dia 2 de junho, e o Japão, no dia 6 de junho. A previsão da chegada da Seleção em Seul é para o dia 26 de maio. Havia previsão de mais um amistoso, dia 11, contra a Argentina, mas a partida foi cancelada, e a CBF agora busca um novo adversário para a mesma data.

331420cookie-checkConvocação para a seleção já foi um evento; comedimento de Danilo expõe uma nova realidade

1 comentário em “Convocação para a seleção já foi um evento; comedimento de Danilo expõe uma nova realidade

  • Donato, o Lúcido
    maio 13, 2022
    Responder

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.